O que fazer em Riga, a linda capital da Letônia (roteiro de 2 dias)

O que fazer em Riga

Riga, a capital da Letônia não é aquele tipo de cidade que figura nos roteiros de viagens da maioria das pessoas, ainda mais dos brasileiros. E se você nunca ouviu falar dessa cidade, tudo bem, eu também não sabia dela até um tempo atrás.

Foi pesquisando sobre Tallinn, a capital da vizinha Estônia e que junto com a Lituânia foram os Países Bálticos, que eu descobri a cidade. A cada pesquisa de imagens, ia me apaixonando mais e mais, até que decidi colocar Riga no meu roteiro.

Eu gosto de viajar por lugares pouco explorados pelo turismo em massa, se é que hoje em dia isso ainda é possível. Mas a Letônia passa longe da lista dos países mais visitados da Europa e aí que vem a mágica a cidade.

Muito frio

Riga é pequena, preservada e tranquila. A cidade nasceu na margem do Rio Daugava, onde hoje fica o que é chamado de Old Town, a cidade antiga. Essa área, com características medievais, bem preservadas e cheias de ruas estreitas e vazias são um presente para quem está cansado de lugares abarrotados de turistas.

Durante longos anos o país fez parte da União Soviética (1941-1991) e as influências russas estão por toda parte: nos prédios, ruas e no povo.

Parece cenário

Mas antes de me apaixonar pela cidade, preciso dizer que me assustei ao pousar no aeroporto local. Não que tinha sido um voo ruim, nada disso, mas eu vinha de Paris onde a temperatura de outono estava em torno dos 10 graus e na Letônia o termômetro estava abaixo do zero.

Uma neblina cobria a cidade e eu mal via as ruas, no táxi a caminho do hotel eu pensava: “o que eu estou fazendo aqui?” Mas foi chegar na Old Town, onde eu me hospedei, que veio a certeza de que eu estava certo em visitar Riga.


O que fazer em Riga


E comecei o meu roteiro em Riga explorando as ruas da Old Town, o bacana é se perder e ir explorando cada cantinho, descobrindo novos cenários a cada curva e pequenos detalhes. A cidade parece que é feita de casinhas de bonecas e ela é originalmente assim, não é algo feito para encher os olhos dos turistas.

Old town

House Of Blackheads

Um bom ponto de partida é a Town Square, a praça da prefeitura e onde fica a House Of Blackheads, a sede da irmandade de mesmo nome que foi construída no século 14 e que foi destruída pelos bombardeios alemães durante a Segunda Guerra Mundial e depois os soviéticos terminaram de demolir tudo em 1948. Mas, felizmente, elas foram reconstruídas entre 1995 e 1999 e hoje funciona um museu.

Não distante dali fica a Igreja de São Pedro (Church of St.Peter), uma igreja linda que começou a ser construída em 1209. Ela chegou a ser o prédio de madeira mais alto da Europa. Também foi seriamente danificada durante a Segunda Guerra Mundial e reconstruída pelos soviéticos nos anos 70.

O que fazer em Riga: Vista do lado antigo da cidade

Durante essa reforma eles instalaram um elevador que vai até o topo da torre e de lá a gente tem a melhor vista de Riga. Preciso agradecer muito aos russos por esse elevador, pois subir mais de 70 metros em escadas estreitas e sinuosas seria um castigo.

Para subir custa 3 euros, mas vale muito a pena. A vista vai longe, a gente consegue ver toda a cidade de cima, as ruazinhas estreitas, os telhados coloridos. É tudo muito bacana. Não deixe também andar pela igreja, que é muito linda.

Vista do lado soviético da cidade

Saindo da igreja, siga até a Dome Square, mas antes, vale parar para um café no Rigensis. Um café local com uma vitrine cheia de doces, bolos, tortas super tradicionais e impecáveis, tanto no sabor, quanto na apresentação.

Pausa pro café

Doces impecáveis

A Dome Square é outra praça importante de Riga, ali fica a Dome Cathedral, outra igreja lindona da cidade. É considerada a principal catedral dos Países Bálticos. A entrada custa 10 euros, honestamente, não acho que vale a pena, pois a beleza dela está do lado de fora. Essa eu passei.

Dome Cathedral

Dome Cathedral lá no fundo

Parece que alguém estacionou no lugar errado

A parada seguinte foi a Three Brothers, elas são as casas mais antigas de Riga. A branca, e mais simples, é do século XV; a verdinha é do século XVII, a amarela é do século XVIII, mas esta passou por algumas reformas ao longo dos séculos, já a branca é a mais original de todas.

O que fazer em Riga: Three Brothers

Dali eu segui para um passeio na margem do Rio Daugava e fui até o Castelo de Riga. O castelo foi a residência presidencial até 2013, quando pegou fogo e está passando por um processo de reconstrução.

Não dá para visitar o castelo, mas de fora a gente pode admirar a construção que na minha opinião, nem se parece muito com um castelo, mas é bacana mesmo assim.

O que fazer em Riga: Castelo de Riga

Se você se empolgar, atravesse o Rio e visite a Biblioteca Nacional, que funciona em um prédio moderno e que não lembra em nada a arquitetura medieval de Riga, mas o bacana é que no topo dela tem um café e com uma linda vista da cidade.

Depois eu voltei para a Old Town e passei pela Cat House, outra casa famosa da cidade que tem no topo um gato com o rabo levantado em direção a Câmara do Comércio local. Uma forma de protesto pelo dono da casa não ter sido aceito na sociedade e o gato virou um dos símbolos da cidade.

Margem do Rio Daugava

Cantinhos da cidade medieval

Saindo da Old Town fica o Parque Kronvalda, que além de lindão, é cortado por um canal e nele tem um passeio de barco que sai dali, atravessa todo o parque, a cidade, entra no Rio Daugava e volta ao ponto de partida. Mais informações e preços nesse site: rivercruises.lv/en

Perto dali fica o Monumento da Liberdade, o principal monumento deles e logo adiante a Catedral Ortodoxa de Riga. Foi a primeira vez que eu coloquei os pés em uma catedral dessas. É linda, por dentro e por fora, mas é proibido fazer imagens lá dentro.

Monumento da Liberdade

O que fazer em Riga: Catedral Ortodoxa

Ao lado da Catedral Ortodoxa fica o Hotel Radisson, um prédio enorme e o mais moderno da cidade, mas o que tem de interessante nisso? É que no topo dele funciona um skybar com outra vista sensacional da cidade.

Seguindo nessa direção eu visitei um lugar que não aparece nos mapas, o Museu da KGB. Eu descobri por acaso pesquisando sobre outros lugares, já que ele não aparece nos mapas e nos poucos guias de Riga.

O que fazer em Riga: Museu da KGB

Como eu disse no começo desse post, por muitos anos a Letônia foi uma República Soviética e a KGB, que foi a principal organização de serviços secretos da União Soviética, a CIA deles, tinha uma base em Riga.

Era lá que os espiões russos prendiam as pessoas, as submetiam a interrogatórios violentos e em muitos casos, as pessoas desapareciam. Hoje, o prédio foi transformado em museu. A entrada é gratuita e vale a pena a visita.

Uma das salas

Desaparecidos

Claro, a imagem de Lennin

Outro lugar que eu visitei em Riga foi o Mercado Municipal, pois vários blogs indicavam. Bom, é um mercadão, é interessante para conhecer mais os hábitos locais. O que eu achei mais interessante dessa região são as influências soviéticas nos prédios e nos bondes que circulam por ali.

O que fazer em Riga: O bonde da era soviética passando em frente ao mercadão

O que fazer em Riga: Mercadão

Olha como o povo come repolho

Os países bálticos são famosos pelas peças feitas com âmbar

E este foi exatamente o roteiro que eu fiz em Riga. Acho que eu acertei muito em incluir a cidade no meu roteiro, amei Riga e pretendo voltar.


Mapa do Roteiro



Planejando a sua viagem


calendario

Quando ir

A melhor época para visitar Riga é na primavera e verão. A Letônia é muito fria no outono e inverno e nessa época as temperaturas ficam quase sempre abaixo de zero, além de nevar. Sobre quantos dias ficar lá, Riga pode ser totalmente explorada em 2 dias cheios.

 

carro

Como chegar

Não existem voos diretos do Brasil para Riga, eu estava em Paris e voei direto com a Air Baltic, uma excelente companhia aérea que eu recomendo muito. Existem voos diretos das principais cidades européias para lá.

 

icon1

Visto

Brasileiros não precisam de visto para entrar na Letônia, o país faz parte da União Européia e sendo um país Schengen, o visto de entrada vale para a visita ao país.

 

icon2

Quanto custa

Mais barato que os países do oeste europeu, mas não chega a ser tão baratinho assim. Mas dá para comer bem pagando até 15 euros. Se hospedar em um 3 estrelas por 22 euros a diária.

 

icon3

Como se locomover

Riga é super pequena, mas tem uma rede de bondes (trams) que circulam em torno do centro histórico. Se você se hospedar nessa região, não vai precisar usar transporte público para nada.

 

icon4

Onde se hospedar

O melhor lugar para se hospedar em Riga é dentro da cidade antiga, eu fiquei no hotel Rixwell Domus e gostei muito. Veja aqui aqui a lista completa de hotéis em Riga (clique aqui).

 


Mais opções de hospedagem



Booking.com


Leia mais


Viajando de ônibus entre os Países Bálticos
Como é voar com a Air Baltic


Sigam o Vou na Janela no Facebook e no Instagram


 

 

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestPrint this page
mm

Fabricio Moura

Meu nome é Fabricio, moro em São Paulo, sou designer e apaixonado pelo mundo. Descobri que viajar é se perder e se encontrar. Se conhecer melhor e se amar mais. Acumular histórias e experiências. Vamos?

Seja o primeiro a comentar