O que fazer em Singapura (roteiro compacto de 1 dia)

O que fazer em Singapura

A cidade-estado de Singapura é muitas vezes uma local de passagem para quem está chegando na Ásia e vai seguir para algum outro país próximo. Se a sua escala for longa, vale muito a pena sair do aeroporto para visitar alguns lugares. Eu sei que Singapura é uma cidade incrível (e com fama de cara) e eu tinha 20 horas de conexão e aí veio a dúvida: o que fazer em Singapura menos de 1 dia?

Uma pausa: afinal de contas, é Cingapura ou Singapura? Eu fiquei na dúvida pois vi escrito das duas formas mas desde 2015 o oficial é Singapura. Sem erros então, seguimos em frente!

Antes de aprofundar no assunto, um conselho meu: se você puder, fique pelo menos dois dias em Singapura, a cidade é linda e merece alguns dias de dedicação.


O que fazer em Singapura


Eu cheguei em Singapura por volta do meio dia, e você sabe, tem todo aquele rolê de aeroporto, transporte até o hotel, check-in e quando eu finalmente saí para visitar a cidade já eram 14h30. Apesar do cansaço (eu estava vindo de Vientiane no Laos e passado a noite no aeroporto de Bangkok) eu estava super animado para ver o que Singapura tinha a oferecer.

Singapura não é uma cidade muito grande e tudo o que interessa está relativamente perto, a menos que você queira ir para Sentosa Island e Universal Studios.

O metrô de Singapura também facilita muito a vida (veja como usar o metrô aqui), para começar, eu recomendo descer na estação Bayfront e já ir direto para o cartão postal principal de Singapura: Marina Bay Sands.

O que fazer em Singapura: Marina Bay Sands

É o hotel que ficou mundialmente famoso por conta da piscina de borda infinita maior e mais fotografada e desejada do mundo. A arquitetura dele lembra um barco navegando em cima das três torres.

Se hospedar no Marina Bay Sands é um sonho de consumo e as diárias giram em torno de R$1.500,00. Puxado, eu sei e só os hóspedes podem ter acesso a piscina. No nível acima da piscina tem um sky-bar de onde a gente tem a mesma vista da piscina, mas não dá para ver a piscina, para privacidade dos hóspedes.

O que fazer em Singapura: Gardens by the bay

Em frente ao Marina Bay Sands fica o Gardens By The Bay, aquele imenso jardim botânico com as superárvores hightech de Singapura. Na minha opinião, é o lugar mais bonito de Singapura e não pode ficar de fora do seu roteiro.

Durante o dia, explore os jardins e os dois domos: Cloud Forest e o Flower Dome. São duas estufas gigantescas que reproduzem lá dentro as condições climáticas de diferentes lugares do mundo e recriam florestas, jardins com todo um ecossistema.

O que fazer em Singapura: Cloud Forest

O que fazer em Singapura: Cloud Forest

E claro, a noite, nada como ver o espetáculo de luzes das superárvores, algo realmente extraordinário que parece ter vindo de outro mundo.

Aqui no blog tem um post super completo sobre o Gardens by the bay, dá uma olhada: clique aqui para ler.

super árvores

Gardens by the bay a noite

No lado oposto ao Marina Bay Sands fica a Marina Bay, a baía rodeada dos prédios mais modernos e bonitos da cidade. Vale muito caminhar no entorno da baía que a noite também acontece um show de luzes.

Além dos jardins que ficam no entorno da Marina Bay, ali também tem alguns lugares bacanas para visitar.

Marina Bay

Uma parada legal é o ArtScience Museum, o museu em forma de flôr de lótus que chama atenção pela arquitetura belíssima. A coleção permanente dele é pequena e só vale a pena a visita se alguma exposição interessante estiver em cartaz, se não, o mais bacana é admirar a arquitetura dele. Dica: o pôr do sol aqui é incrível!

O que fazer em Singapura: ArtScience Museum

Outro lugar interessante na Marina Bay é o Merlion Park, onde fica o Merlion, a criatura mística meio peixe e meio leão que é o símbolo de Singapura.

A figura foi criada para representar a cidade, a cabeça de leão representa a visão que um príncipe de Sumatra teve de um leão ao pisar pela primeira vez onde hoje é Singapura e a metade peixe representa o passado histórico de Singapura como cidade portuária e que continua firmando a cidade-estado como um dos principais portos cargueiros do mundo.

Merlion

Cansou da Marina Bay? Ali pertinho fica o Clarke Quay, a região mais boêmia da cidade, cheia de bares e restaurantes legais e apesar de ser uma cidade cara, tem opções para quase todos os bolsos.

No lado oposto e já um pouco fora da Marina Bay fica a Singapore Flyer, a super roda-gigante de Singapura que chama a atenção a distância. Impossível não ver essa belezinha de vários pontos da cidade.

A Singapore Flyer tem 65 metros de altura, dizem que em dias de céu claro, dá pra ver a Malásia e Indonésia lá de cima. Ela lembra bastante a London Eye, com suas cápsulas que podem acomodar mais de 700 pessoas por vez.

Como eu não tinha um dia inteiro e na dúvida do que fazer em Singapura nesse pouco tempo, eu preferi olhar a Singapore Flyer de longe, mas em 24 horas na cidade, dá para fazer o passeio tranquilamente.

Singapore flyer

Singapore flyer

Se sobrar um tempinho, vale dar uma andada pela Little India, o bairro dos indianos que vivem em Singapura e que, claro, ajudaram a formar o povo da cidade-estado.

Espere por ruas coloridas, música indiana, cheios de especiarias e comida e bebida bem mais barata do que em outras partes da cidade. Eu me hospedei por uma noite em um hotel em Little India e foi uma ótima opção.

Não longe dali fica também Chinatown e como o nome diz, é o bairro chinês de Singapura. Espere também por muito xing-ling, mas também por prédios de arquitetura linda, bons lugares para comer e ali fica o Templo Sri Mariamman, apesar de estar em Chinatown, é o principal e mais antigo templo hindu de Singapura.

Chinatown

Singapura é uma cidade que merece uma visita mais longa do que um dia, mas se este for o seu tempo disponível e estiver na dúvida sobre o que fazer em Singapura, este é o roteiro com o essencial na cidade.

Postado em:
Domingo, 2 de Julho de 2017


Procurando hospedagem em Singapura?


Olha a nossa lista de sugestões no Booking.com. Reservando um hotel pelo Booking, você ajuda o blog e não paga nada a mais por isso. Clique aqui


Sigam o Vou na Janela no Facebook e no Instagram


Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestPrint this page
mm

Fabricio Moura

Meu nome é Fabricio, moro em São Paulo, sou designer e apaixonado pelo mundo. Descobri que viajar é se perder e se encontrar. Se conhecer melhor e se amar mais. Acumular histórias e experiências. Vamos?

Seja o primeiro a comentar