Roteiro de Berlim pela antiga Alemanha oriental

Roteiro de Berlim

Berlim é um dos lugares onde a gente consegue testemunhar de perto a história e a evolução dela. Do nazismo de Hitler à queda do Muro de Berlim, é tudo relativamente recente quando pensamos que fatos históricos de milhares de anos como as Pirâmides do Egito, por exemplo. Muitas pessoas me pediram um roteiro de Berlim focado na antiga parte oriental da cidade.

Eu já tinha feito um roteiro bem completo falado na Alemanha do Terceiro Reich de Hitler, e então, atendendo a pedidos, vamos fazer o roteiro da Alemanha Oriental, oficialmente chamada de RDA – República Democrática Alemã ou DDR – Deutsche Demokratische Republik.


Roteiro de Berlim Oriental


Começamos pelo Portão de Brandemburgo, o muro que dividia a Alemanha passava exatamente por trás dele e apesar de se tratar de um portão, ele nunca foi usado como ponto de travessia entre as duas Alemanhas. O portão ficou esquecido do lado Oriental.

Aqui já era Berlim Oriental

Aqui já era Berlim Oriental

O muro passava aqui

Roteiro de Berlim: O muro passava aqui

Falando em Muro, ele muro caiu, mas em boa parte da cidade, a gente consegue identificar facilmente por onde ele passava e atrás do Portão de Brandemburgo é desses lugares.

Atrás do Portão de Brandemburgo, na longa Avenida “Straße des 17. Juni” fica o Memorial Soviético, no Tiergarten. O lugar foi construído em 1945, logo após o fim da Guerra para lembrar os soldados do Exército Vermelho que perderam a vida na invasão a Berlim. No memorial ficam tanques e canhões originais usados operação. Mas a ironia é que logo após a construção, a cidade foi dividida e o memorial ficou no lado ocidental da cidade, uns 200 metros longe da Alemanha Oriental.

Memorial soviético

Roteiro de Berlim: Memorial soviético

Um dos tanques soviéticos que invadiram Berlim

Roteiro de Berlim: Um dos tanques soviéticos que invadiram Berlim

Atravessando novamente o Brandemburgo, a gente entra de vez na parte da cidade que correspondia a Alemanha Oriental. Seguindo reto pela Under den Liden, passando pela Ilha dos Museus a gente chega na Alexanderplatz, o coração da Berlim Oriental. Ali pertinho fica o pequeno museu da DDR, vale dar uma conferida para entender um pouco como era a vida naquela época

Hoje, a praça ainda fervilha, por ser um ponto de conexão de trens, metrô, trams e ônibus. Se antes a praça era o coração comunista, hoje é tomada por lojas de departamento como C&A e Primark. Mas continua lá a imponente Berliner Fernsehturm, a torre de Tv construída pelos soviéticos inaugurada em 1969.

Berliner Fernsehturm na Alexanderplatz

Roteiro de Berlim: Berliner Fernsehturm na Alexanderplatz

A torre tem 368 metros de altura e pode ser vista a até 42 quilômetros de distância e a razão desse tamanho todo era exatamente esse, ser aquele ponto visível de fora da Alemanha Oriental, como uma forma de provocação para os americanos e britânicos. Dá para visitar a torre, lá em cima tem um restaurante e uma vista em 360 graus da cidade.

O blog Tirando Férias tem um post super completo contando como é a visita (leia aqui).

Que pode ser vista de qualquer ponto da cidade

Roteiro de Berlim: Que pode ser vista de qualquer ponto da cidade

Não muito longe dali fica o famoso Checkpoint Charlie, que foi o principal ponto de travessia entre as duas Alemanhas durante a Guerra Fria e era administrado pelos americanos. Existiam outros dois pontos de travessia, o Checkpoint Alpha, em Helmstedt, e o Checkpoint Bravo em Dreilinden cada nome indicando uma letra do alfabeto (Alpha a letra A, Bravo a letra B e Charlie a letra C) de acordo com o alfabeto fonético.

Checkpoint Charlie

Roteiro de Berlim: Checkpoint Charlie

O Checkpoint Charlie se tornou o maior símbolo da Guerra Fria. No início era apenas uma pequena cabine, depois substituído por uma grande estrutura. Hoje uma réplica da primeira cabine foi colocada no local, alguns atores vestidos como soldados americanos posam para fotos com os turistas e você ainda pode ter o passaporte carimbado com carimbos da época da Guerra Fria. Eu garanti o meu.

Placa que alertava quem deixava o setor americano

Roteiro de Berlim: Placa que alertava quem deixava o setor americano

O mais legal são os carimbos no passaporte

O mais legal são os carimbos no passaporte

Ali perto fica o Museu do Muro, ou “Mauermuseum” que conta toda a história do muro de 150 quilômetros que separou a Alemanha do mundo. Também aqui perto fica o Topography of Terror, um museu que conta a história do nazismo e da Guerra Fria. Do lado do Topography fica uma enorme seção preservada do Muro de Berlim, esse foi meu primeiro contato com o Muro e nesse trecho, ele ainda apresenta buracos que foram feitos pelos berlinenses para ajudar a derrubar o muro.

Trecho original do muro

Trecho original do muro

Ali pertinho também fica o Trabi World, um museu que oferece passeios pela cidade nos Trabants, os carrinhos que eram fabricados na Alemanha Oriental e que se tornou um dos símbolos da DDR. Eu sou apaixonado por esses carrinhos a fiz o passeio, mas também conheci pessoas que ainda tem um carrinho desses, é sensacional. Informações aqui.

Trabants

Trabants

Nessa região, na WilhelmStraße, também fica o antigo prédio onde funcionou o Ministério da Aviação do Terceiro Reich do Hitler, depois da guerra o prédio se manteve e foi usado pelo novo regime, a curiosidade é que no hall de entrada foi pintado um mural comunista e que mesmo com a queda do muro, ele foi preservado.

Mural comunista

Mural comunista

Falando em muro, no bairro de Alt Treptow fica a East Side Gallery, o trecho de mais de 1 quilômetro preservado do Muro de Berlim e que hoje é talvez a maior galeria de arte ao ar livre do mundo. E o fim do East Side a gente ainda encontra a cabine de uma antiga torre de vigilância da DDR abandonada.

A maior galeria de arte ao ar livre do mundo

A maior galeria de arte ao ar livre do mundo

Torre da DDR

Torre da DDR

Essa parte de Berlim ainda não foi tão tomada pelas novas construções que vemos em outras partes da cidade, aqui a gente consegue ver um grande número de prédios e condomínios da época da Alemanha Oriental, todos no melhor estilo soviético com suas linhas simples e sisudas.

Termine o dia na Potsdamer Platz, a praça que foi cortada pelo muro e hoje é um dos melhores exemplos da reconstrução e reintegração entre as Alemanhas Oriental e Ocidental.

O ideal desse roteiro de Berlim é ser feito em 2 dias, com calma. Só a região do Checkpoint Charlie vale uma tarde inteira.

Leia mais:
Muro de Berlim e a East Side Gallery
Roteiro do Terceiro Reich em Berlim
Qual a melhor época para visitar Berlim?
Check Point Charlie em Berlim
Quantos dias ficar em Berlim?
Todos os posts sobre Berlim
Todos os posts sobre a Alemanha


Sigam o Vou na Janela no Facebook e no Instagram


 

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestPrint this page
mm

Fabricio Moura

Meu nome é Fabricio, moro em São Paulo, sou designer e apaixonado pelo mundo. Descobri que viajar é se perder e se encontrar. Se conhecer melhor e se amar mais. Acumular histórias e experiências. Vamos?

Seja o primeiro a comentar