Como se locomover em Cuba? Que opções de transporte usar

Existem preocupações que são comuns quando viajamos, e a questão da locomoção entre as cidades e dentro das cidades é um dos pontos mais importantes no planejamento de viagens. Se existem lugares com fartura de transporte público de qualidade, em outros lugares a coisa é bem mais complicada. E como se locomover em Cuba e Havana?

Em Cuba existe transporte público, operados por trens e ônibus que cortam as cidade e o país, mas esse tipo de serviço só é usado pelos cubanos, o que faz com que as opções para se locomover em Cuba sejam bem mais restritas.

Atenção: Seguro viagem é obrigatório para visitar Cuba. Faça o seu aqui com desconto

Busão cubano

A verdade é que certamente você não ia querer usar o transporte público cubano, são ônibus se desmanchando em ferrugem e caminhões adaptados para transportar passageiros.

Um dos vários tipos de transporte público na ilha

A melhor forma de se locomover em Cuba é de taxi dentro das cidades, como em Havana ou contratando um transfer para te levar de uma cidade para outra.

Quando eu estive em Cuba, eu visitei Varadero e Havana. A minha chegada foi por Havana e ainda no Brasil já tinha contratado um transfer até Varadero, que fica a uma distância de 150 quilômetros da capital. O transfer pode ser feito em vans, carros particulares ou táxis e a boa notícia é que são carros novos e com ar condicionado.

Taxista que me levou de Varadero a Cuba, uma figura o cara

O preço foi puxado, a viagem de 2 horas custou 120 CUCs (120 dólares) o trecho, na volta de Varadero para Havana foi um pouco menos, 110 CUCs (110 dólares). Eu contratei esse serviço direto com o pessoal do hotel onde eu me hospedei e certamente a maioria dos hotéis podem oferecer esse serviço.

Em Havana eu usei o táxi, a maioria dos carros é bem antiga, mas já não é tão complicado achar carros mais novos, a maioria coreanos, com ar condicionado e todo conforto. O preço é salgado, uma corrida do hotel onde eu me hospedei até a Habana Vieja custava 10 CUCs, uma distância de uns 4 quilômetros.

Em Havana você pode também optar por fazer um tour nos carros antigos, super estilosos, lindos e incrivelmente bem conservados. Os preços variam, mas em média custa 60 CUCs por hora ou 90 CUCs por 3 horas. Eu não fiz esse passeio pois no dia em que eu faria caiu um temporal e inundou a avenida a beira mar e o Malecón, aí o passeio perdeu a graça. Mas esse tour é bem popular entre os visitantes.


Vídeo


Confira o nosso vídeo com o que fazer em Havana.


Procurando hospedagem em Havana?


Aqui no blog tem um post com todas as dicas de onde se hospedar em Havana e também onde evitar. Clique aqui

Ou você pode olhar a nossa lista de sugestões no Booking.com. Reservando um hotel pelo Booking, você ajuda o blog e não paga nada a mais por isso. Clique aqui.


Booking.com


Reserve um passeio em Havana



Mais sobre Cuba


Planejando a sua viagem

Que moeda levar para Cuba
15 coisas que você precisa saber antes de visitar Cuba
Visitar Cuba é caminhar por seus dois mundos paralelos
Como conseguir o visto para Cuba
Como é passar pela imigração em Cuba
Quando visitar Cuba
Onde se hospedar em Havana
Como se locomover por Cuba
Como usar a internet em Cuba

Mais coisa para fazer em Cuba

O que fazer em Havana (Roteiro completo)
Fortaleza de La Cabaña
La Bodeguita del Medio
Museu da Revolução Cubana
Varadero e as praias cubanas


Guia de Havana para download


Guia de Havana para download


Sigam o Vou na Janela no Facebook e no Instagram


mm

Fabricio Moura

Meu nome é Fabricio, moro em São Paulo, sou designer e apaixonado pelo mundo. Descobri que viajar é se perder e se encontrar. Se conhecer melhor e se amar mais. Acumular histórias e experiências. Vamos?

4 Comentários

  • Responder Janeiro 13, 2018

    Alberth Palhares

    Essa viagem foi meio Nutella. Conheço algumas pessoas que foram à ilha e ambas disseram que a melhor experiência é se hospedar em casa de cubanos, para não fazer aquele papel de turista rico e gastar bem mais do que poderia. Soube que a passagem de ônibus é bem barata e os turistas já podem usar o CUP, moeda local. Estou planejando minha viagem e pretendo ter uma experiência mais local.

    • mm
      Responder Janeiro 13, 2018

      Fabricio Moura

      Olha, Alberth, eu acho que cada viagem é uma experiência, se o cara fica feliz em pagar um resort, legal! Se ele fica feliz se hospedando em uma casa de família, legal também! O meu perfil de viajante não é mochileiro, não é meu estilo de viagem e tudo bem, cada um tem o seu. Respeito e admiro, mas eu não fui “fazer aquele papel de turista rico e gastar bem mais do que poderia”. Se você precisar de alguma ajuda, e se você quiser, claro, estou a disposição.

    • Responder Fevereiro 28, 2018

      Ana Livia Souto

      Pelo visto a preocupação do pessoa não é curtir a viagem em si, é mostrar pros amigos e na mídia social uma ‘imagem’, do ‘não rico’, ‘viajante raiz’, tenho mais mas gasto o mínimo pois sou desconstruidão, ‘experiência local’, viagem de verdade é ‘mochilando’ – desse jeito aí turistar, não sabem viajar e curtir.

      Vide o grupo mochileiros do FB, uma babaquice enorme.

      PAREM DE SE PREOCUPAR COMO OS OUTROS VIAJAM.

      Passei mais de 15 anos da minha vida mochilando, antes de virar modinha e é I-N-F-I-N-I-T-A-M-E-N-T-E melhor ter conforto, se aproveita BEM MAIS, se curte MUITO MAIS.

      Rodar horas a pé, com mochila nas costas, dormindo em trem e estação, vai deixar sua viagem uma BELA DE UMA M#RD@, não importa o paraíso que estejam! Somos humanos!

      Ficar em um cafofo fedorento, minúsculo, nativo e o mais barato possível NÃO VAI FAZER SUA VIAGEM MELHOR NEM PIOR, isso é papo de facetrip (gente que viaja pra dizer que viajou, nas redes sociais).

      • mm
        Responder Fevereiro 28, 2018

        Fabricio Moura

        Nossa, que maravilhoso isso <3

Deixe uma resposta