Vai para Paris? Conheça os 5 golpes mais comuns na cidade

paris golpes mais comuns Fortaleza e Paris

Se tem algo que eu aprendi, é que não importa a cidade, não importa o país que você estiver visitando, sempre vai ter alguém para tentar te aplicar um golpe. Até mesmo em Paris! Isso mesmo amigos, neste post você vai descobrir os 5 golpes mais comuns em Paris e o que fazer para evitar.

Eu quase caí em dois deles e depois a gente fica incrédulo com a cara de pau das pessoas e com raiva por ter sido tão inocente. A maioria das tentativas aconteceram ao redor da Torre Eiffel, nada surpreendente não é? O monumento mais visitado do mundo, em uma das cidade mais visitadas do mundo, Paris deve ser a terceira cidade mais visitada de 2017, com uma expectativa de receber 16 milhões de pessoas, só ficando atrás Bangkok e Londres (informações do InfoMoney).

E como eu estou aqui para compartilhar com vocês as minhas experiências – boas e ruins – para que você viaje melhor e não caia em furadas, vou listar os 5 golpes mais comuns em Paris.

Atenção: Seguro viagem é obrigatório para viajar para a Europa. Faça o seu aqui com desconto


Os 5 golpes mais comuns em Paris


Abaixo assinado

Nesse eu quase caí, e fiquei indignado depois! Funciona assim: você está lá passeando no entorno da Torre Eiffel, com aquela cara de turistão, todo encantado com a beleza da torre e chega alguém muito simpático e pergunta se você fala inglês. Como a gente é educadinho, responde que sim e aí a moça explica que trabalha para uma ONG e que está colhendo assinaturas em um abaixo assinado para sei lá o que.

Você aceita, assina e depois ela mostra uma tabela com valores para “doação”. E tipo, os valores são de 5, 10, 20 Euros. Qualquer cinco euros são praticamente 20 golpes – quer dizer – 20 reais que você está “doando”. Aí você diz que não vai dar tanto dinheiro assim e ela ameaça a fazer um mini escândalo.

O que fazer: Quando for abordado, você pode simplesmente dizer que não fala inglês ou dizer que já fez a sua “doação”. E siga andando.

5 golpes mais comuns em Paris: Torre Eiffel

Golpe do anel de ouro

Esse foi outro que eu quase caí. Você está lá andando, mais uma vez com aquela cara de bobo com tanta beleza e uma pessoa finge que achou um anel de ouro bem na sua frente. Ela diz “Uau, achei um anel de ouro, mas não serve em mim”.

A moça que me abordou disse que era da Polônia, e que tinha sido roubada (aham Cláudia) e te oferece o anel e diz que está precisando de dinheiro para comer, só 30 euros! Ou então, ela tenta te vender o anel. Sério, eu vi gente comprando o anel falso da moça.

O que fazer: Ignorar.

O golpe do copinho

Esse eu vi embaixo da Torre Eiffel, na cara dos policiais e ninguém fazia nada. Um grupo de umas 5 pessoas fazem parte do golpe.

Um cara fica embaralhando três copinhos virandos de cabeça para baixo e embaixo de um deles tem uma bolinha. “Ganha” quem acertar onde está a bolinha. Inocente né? Mas o ponto é que a maioria das pessoas que ficam em torno do cara fazem parte da mesma gangue, eles fazem apostas para impressionar os turistas e claro, ganham essas apostas.

Eu passei perto deles umas três vezes, em uma das ocasiões uma mulher gritou bem alto “aposto 200 euros” e claro, ela “ganhou” a aposta. No fim do dia eu vi todos eles indo embora e a tal mulher que apostou os 200 euros estava de mão dadas com o cara que embaralhava os copinhos.

O que fazer: Nem chegue perto.

Golpe do barbante em Montmartre

Esse golpe foi uma leitora do Vou na Janela que me disse (obrigado, Thereza <3) e funciona assim: você chega em Montmartre, especialmente nos pés da Basílica de Sacré Coeur. Lá, um cara pode tentar amarrar um barbante ou uma linha de tricô no seu braço e dão um nó cego. Antes que você tente entender o que está acontecendo, eles começam a tentar te extorquir dinheiro e não é pouco.

Se você se exaltar, vários deles começam a se juntar em volta de você e a despejar ofensas e palavras pesadas. Os golpistas são todos de origem africana e são homens enormes, eu vi uma moça passar por apuros com eles até que chegou a polícia e eles saíram correndo.

O que fazer: nem chegue perto deles, mas se eles amarrarem o barbante, faça um escândalo pois a maioria é imigrante ilegal e certamente eles não vão querer ter problemas com a polícia.

5 golpes mais comuns em Paris: Basílica de Sacré Coeur

Golpe do bilhete do metrô

E fui comprar um bilhete e tinha um cara com roupa parecida com a da RATP (empresa que administra os metrôs de Paris) em volta das máquinas de vendas. Ele perguntou se eu precisava de ajuda e eu disse que não, agradeci e comprei normalmente o meu bilhete.

Pois bem, era mais uma tentativa de golpe, especialmente para quem não sabe usar as máquinas e geralmente eles tentam aplicar o golpe em turistas e nas máquinas mais antigas, que são um pouco mais complicadas de usar.

Quando ele oferece ajuda, ele diz que a máquina está inoperante e te vende o bilhete dele, que supostamente é um bilhete semanal de uso ilimitado e na verdade não passa de um bilhete comum já usado.

O que fazer: Não aceite ajuda de ninguém na hora de comprar seu bilhete de metrô.

5 golpes mais comuns em Paris: Metrô de Paris


Procurando hospedagem em Paris?


Aqui no blog tem um post super completo com todas as dicas de onde se hospedar em Paris. Leia aqui!

Ou você pode conferir a nossa lista de sugestões no Booking.com. Reservando um hotel pelo Booking, você ajuda o blog e não paga nada a mais por isso. Clique aqui.



Booking.com


Reserve um passeio em Paris



Posts sobre Paris


O que fazer em Paris pela primeira vez
Como visitar a Torre Eiffel
Catedral de Notre Dame e a Île de la Cité
Dicas para visitar o Museu do Louvre
Como visitar o Museu do Louvre sem pegar filas
A basílica de Sacré-Coeur e Montmartre
Como visitar o Arco do Triunfo
Vamos falar dos queijos fedidos da França?

Planejando a sua viagem

Como ir do Aeroporto Charles de Gaulle até o centro da cidade
Como ir do Aeroporto de Orly até o centro da cidade
Como usar o metrô de Paris
Onde se hospedar em Paris
Os 5 golpes mais comuns em Paris


Sigam o Vou na Janela no Facebook e no Instagram


mm

Fabricio Moura

Meu nome é Fabricio, moro em São Paulo, sou designer e apaixonado pelo mundo. Descobri que viajar é se perder e se encontrar. Se conhecer melhor e se amar mais. Acumular histórias e experiências. Vamos?

16 Comentários

  • Responder dezembro 13, 2017

    Iara Ladislau

    Cara é cada coisa né?
    Você viaja pra relaxar e pode ter um enorme dor de cabeça.
    Essa do barbante aconteceu com a minha sobrinha e a miga deambulação usou uma tesoura para cortar o barbante.
    Mas olha eu morreria juro.

    • mm
      Responder dezembro 13, 2017

      Fabricio Moura

      Olha, ainda bem que me avisaram pois quando eu cheguei lá, pois foi a primeira coisa que aconteceu, aquele cara de quase 2 metros de altura vindo com o barbante na minha direção e mais uns 3 deles atrás.

  • Responder janeiro 13, 2018

    Yane Lopes

    Olá. Fui a Paris no ano passado com meu noivo e também fomos vítimas de um Golpe. Coisa de louco.
    Foi assim:
    Estávamos caminhando pela calçada em direção a torre Eiffel e um senhor de idade e simpático encostou o carro perto de nós e perguntou por um endereço. Nós com toda cara de turistas dissemos não saber. Ele logo reconheceu o sotaque e disse q falava português, que amava o Brasil é dá-lhe elogio e histórias brasileiras. Daí ele falou que era gerente da Giorge Armani e estava procurando o local do evento, mas como gostou muito de nós estava nos dando de presente dois casacos de couro que custavam 1.400€ mas q era presente. Na hora achei estranho e logo em seguida se despediu e perguntou se podíamos dar uma ajuda na gasolina dele pois ele teria q voltar a Itália. Ficamos sem graça e demos 70€. Depois q ele foi, olhamos os casacos e eram velhos e mofados. Pensa na ignição!

    • mm
      Responder janeiro 15, 2018

      Fabricio Moura

      Gente, que bizarrooo! E quando percebem que a gente é brasileiro começam a falar que amam o Brasil, é assim mesmo. Como a gente vai desconfiar né?

  • Responder janeiro 25, 2018

    Helenice

    Eu caí no do anel….. Que coisa hein! Estávamos na ponte, indo para o Louvre. Uma moça faz a encenação toda, que tinha achado um anel de ouro, mas que iria me dar, pq só precisava de dinheiro para comer…. E eu dei…. Rsrs e lá no Louvre eu vejo a mesma cena….. Mto inocente eu…… Rsrs rsrs rsrs

    • mm
      Responder janeiro 25, 2018

      Fabricio Moura

      Infelizmente a gente não pode se descuidar nunca.

  • Responder janeiro 26, 2018

    Lele

    Eu e meu marido quase caímos no golpe do casaco, igual ao que a Yone Lopes descreveu acima. Na hora eu disse que não estava com dinheiro e o sujeito disse que aceitava cartão, desconfiei e respondi que eu não queria comprar nada. Ele pediu os casacos novamente e foi embora kkk

    • mm
      Responder janeiro 28, 2018

      Fabricio Moura

      Nossa, quem vai imaginar né?

  • Responder maio 6, 2018

    Eliane Gat

    Que absurdo quem poderia imaginar isso em Paris, obrigada pelo pôster.. um dia irei a Paris e já ficarei ligeiramente esperta 😜

    • mm
      Responder maio 6, 2018

      Fabricio Moura

      Oi Eliane, tudo bem? Pra gente ver que existem golpes em todos os lugares do mundo.

  • Responder maio 28, 2018

    Lian Gong

    Eu viajarei essa semana e já estou morrendo de medo dos do barbante, mto mto nervoso mesmo com isso, que poderei fazer além dessas dicas, afinal, pelo que sei, là nem sempre é movimentado, logo, mais chances de eu morrer. Desde já agradeço

    • mm
      Responder maio 28, 2018

      Fabricio Moura

      Oi Lian, não tem muito o que fazer né? Tem que ficar ligado e não deixar isso estragar a sua viagem.

  • Responder agosto 28, 2018

    Sil

    Ola..li seu post…me senti indignada.Absurdo não!
    Mas desde que mundo é mundo a existência do ser humano e suas trapaças nos rodeiam.
    Vou ficar de olho…Obrigada.

    • mm
      Responder agosto 28, 2018

      Fabricio Moura

      É bem verdade mesmo, o jeito é a gente não baixar a guarda em lugar nenhum.

  • Responder setembro 29, 2018

    Luzia Guimarães

    Em nossa estadia em Paris no ano de 2014 fomos vítimas de outro tipo de golpe.
    Meu marido, eu e meu filho estávamos tirando fotos e selfies, na torre Eiffel, quando 2 caras bem vestidos e com máquinas fotográficas bem vistosas e parecendo autênticas, se oferecem para fazer fotos profissionais da família. O pagamento seria na hora e eles nos enviaram as fotos por e-mail. Fizemos varias poses, tiraram varias fotos, pagamos,eles nos passaram um número de celular…nunca mais tivemos notícias e muito menos as fotos. Nos sentimos bem idiotas por cair na lábia deles…

    • mm
      Responder setembro 30, 2018

      Fabricio Moura

      Nossa, Luzia, que absurdo! É o tipo de coisa que azeda a nossa viagem né? Esse golpe aí eu ainda não tinha ouvido falar.

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.