Como é passar pela imigração na França em 2022

Eu já escrevi aqui um post contando como é passar pela imigração em Paris. Entretanto, de lá pra cá, muita coisa mudou, especialmente com a pandemia e a reabertura da França para brasileiros. Neste post, eu conto como é passar pela imigração na França em 2022, bem como os documentos e procedimentos necessários.

***

Recentemente eu estive em Paris e fiz a minha imigração no Aeroporto Charles de Gaulle, um dos maiores e mais movimentados aeroportos do mundo. Veja o vídeo desta viagem aqui.

Ao todo, ele tem 3 terminais. Simples, ok? Nem tanto! É que o Terminal 2 é dividido em 6 sub-terminais: 2A, 2B, 2C, 2D, 2E e 2F. Nesse emaranhado, os terminais 2E e 2F são os maiores. Além disso, estes terminais têm “satélites” (S3 e S4) onde chegam os voos internacionais de longa distância. Haja terminal! Se você viajar para Paris com a Latam, você chegará ao Terminal 1. Passageiros que voando com a Air France, chegarão no Terminal 2E podendo ser no terminal principal ou em alguns dos satélites. Eu cheguei no S3 e tive que pegar um trem interno até o setor de imigração.

De qualquer forma, é tudo muito bem sinalizado de modo que basta seguir as placas indicando o setor de imigração. Não tem erro!

Leia mais:
Regras e documentos para entrar na França
30 lugares o para visitar em Paris
Onde se hospedar em Paris
Como ir do Aeroporto Charles de Gaulle até o centro de Paris
Como ir do aeroporto de Orly até o centro da cidade
Como usar o metrô de Paris

Como ir do aeroporto Charles de Gaulle até o centro de Paris
Aeroporto Charles de Gaulle em Paris: Como é passar pela imigração em Paris

Como é passar pela imigração em Paris


Primeiro passo

O seu processo de imigração em Paris vai começar muito antes da sua chegada. O que acontece é que toda a documentação necessária para entrar na França está sendo conferida no momento do check-in, justamente para agilizar os procedimentos de imigração na chegada em Paris e evitar filas no Aeroporto Charles de Gaulle.

Sendo assim, o pessoal da Air France ainda no Brasil vai conferir o seu certificado de vacinação do ConecteSUS, exames (RT-PCR ou Antígeno) e os formulários necessários. Para saber mais detalhes sobre a documentação necessária e as regras para entrar na França, recomendo ler o post atualizado.

Uma dica interessante, é que a Air France tem um serviço chamado Ready to Fly, onde você pode fazer o upload de todos os documentos em uma plataforma antes de chegar no aeroporto e fazer o check-in em um balcão dedicado e sem filas. O link para acesso à plataforma é enviado pela Air France cerca de uma semana antes da sua viagem.

E a minha dica aqui é vá com antecedência e muita paciência, já que o check in é aberto apenas 3 horas antes do voo. E considerando que o embarque começa 1 hora antes da partida, na real só temos 2 horas para fazer o check-in e correr para o setor de raio-x e controle de passaporte. 


Segundo passo

Chegando na imigração em Paris, existem várias filas, algumas exclusivas para cidadãos europeus – estas sempre existiram – mas também filas para alguns países que naquele momento a França considerava um país de risco. Claro, isso pode mudar todos os dias. Mas tinham filas exclusivas para quem vinha da Ásia, da África e do Reino Unido. 

No caso dos brasileiros, era só entrar na fila geral “all passports” e seguir até o balcão com o oficial de imigração. Naquela hora da manhã, as filas estavam enormes, mas em se tratando do Charles de Gaulle, as filas são sempre grandes.

Chegando no balcão de imigração eu apresentei o meu passaporte e só. Nenhum documento foi pedido, pois o pessoal da Air France já tinha conferido tudo em São Paulo. Também não me pediram a passagem de retorno, comprovante de hospedagem ou nada daquela papelada que a imigração costuma pedir. O meu “encontro” com o oficial de imigração deve ter durado cerca de 30 segundos. Acho que no meu caso, o meu histórico em viagens me favorece. Entretanto, eu vi que algumas pessoas ficavam bem mais tempo nos balcões.

Na dúvida, leve sempre toda a papelada que é pedida regularmente além, claro, da documentação extra por conta da pandemia.

São eles:

  • Passaporte válido
  • Passagem de retorno ao Brasil 
  • Comprovante de hospedagem
  • Comprovante financeiro (dinheiro e cartões de crédito)
  • Comprovante de vínculo com o Brasil (carta do empregador, holetire ou contrato social caso seja empresário).

Lembrando que brasileiros não precisam de visto para viajar para a Europa para uma permanência de até 3 meses dentro do Espaço Schengen.

***


Se você estiver procurando onde ficar em Paris, aqui no blog tem um post bem completo explicando os melhores bairros e onde você deve evitar. Veja aqui. Mas deixo algumas dicas abaixo.

Na minha primeira vez em Paris me hospedei no hotel Bonséjour Montmartre, que tinha nada menos que 4 estações do metrô perto e ficava a uns 15 minutos de caminhada da Gare du Nord. Eu paguei o equivalente a 280 reais na diária com café da manhã.

Já na minha segunda vez em Paris eu fiquei no sensacional Hotel Saint-Louis Pigalle. O hotel também fica em Montmartre, coladinho na estação Pigalle do metrô. Entretanto o que eu mais gostei nesse hotel, é que os quartos tem uma atmosfera de casa. 

Tem hotéis que não tem como errar e o Mercure Paris Pigalle Sacre Coeur é certamente um deles. O hotel fica coladinho na Basílica de Sacré-Coeur e com estação de metrô ao lado. 

A rede Novotel não tem como errar, são hotéis confortáveis e com preços acessíveis. A dica aqui é o Novotel Paris Les Halles, que fica pertinho do Louvre e tem instalações modernas e muito confortáveis.

Hotel Opera Maintenon é um verdadeiro achado, um hotel duas estrelas, mas com conforto de hotel 4 estrelas e ótimo preço. 

Já pensou, ficar hospedado do lado da Torre Eiffel em Paris e sem pagar uma fortuna? A dica é o Hotel Royal Phare, um hotel super charmoso e confortável localizado a uma quadra da Champ de Mars e a uns 700 metros da Torre Eiffel. 

Outro hotel que é um pequeno achado em Paris, o Hotel De Suede Saint Germain é pequeno, aconchegante e fica em uma rua bem tranquila de Paris.


Como ir do Aeroporto Charles de Gaulle até o centro de Paris
Como ir do aeroporto de Orly até o centro da cidade
Como é passar pela imigração em Paris
Como usar o metrô de Paris
Conheça os 5 golpes mais comuns em Paris


30 lugares para visitar em Paris
O que fazer em Paris em 4 ou 5 dias
Como visitar a Torre Eiffel
Como visitar o Museu do Louvre sem pegar filas
Dicas para visitar o Museu do Louvre pela primeira vez
Como visitar o Arco do Triunfo
Île de La Cité e Catedral de Notre-Dame
O que fazer em Montmartre
Cemitério do Père-Lachaise










Reservando um serviço com um dos parceiros do blog, você ajuda o Vou na Janela a produzir mais conteúdo e não paga nada a mais por isso. O Vou na Janela só recomenda empresas e serviços em que confia.

mm

Fabricio Moura

Meu nome é Fabricio, moro em Bangkok na Tailândia, sou designer e apaixonado pelo mundo. Descobri que viajar é se perder e se encontrar. Se conhecer melhor e se amar mais. Acumular histórias e experiências. Vamos?

2 Comentários

  • Responder fevereiro 3, 2022

    Liv

    Uma dúvida: como faço a comprovação financeira? Vou levar um pouco em dinheiro e o resto em cartão de débito (ou melhor levar 100% em dinheiro?). Também vou levar os de crédito, por precaução, eu preciso imprimir alguma coisa para mostrar saldo do cartão de crédito ou apenas mostrar o cartão resolve?

    Outra dúvida, irei com uma amiga, podemos passar a imigração juntas ou é cada uma em um guichê?

    Obrigada! 🙂

    • mm
      Responder fevereiro 12, 2022

      Fabricio Moura

      Normalmente a comprovação financeira é com dinheiro e cartão de crédito. Em média 50 EUR por dia/pessoa. Sim, podem passar juntas.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.