Dicas para visitar o Museu do Louvre pela primeira vez

Museu do Louvre sem filas visitar o Museu do Louvre

Visitar o Museu do Louvre é obrigatório para quem vai a Paris. Certamente você já deve ter ouvido isso e aquele seu amigo cheio das dicas já te disse o mesmo, correto? Sim, mas visitar um dos museus mais famosos do mundo só é obrigatório se esse é o seu tipo de turismo, pois acredite, nem todo mundo gosta de museu.

O que talvez o seu amigo não tenha te dito, é que visitar o Museu do Louvre requer uma bela dose de paciência e tempo. Paciência pois as filas são enormes, mas como eu sou um bom amigo, nesse post eu explico como entrar no Louvre sem filas (clique aqui).

Atenção: Seguro viagem é obrigatório para viajar para a Europa. Faça o seu aqui com desconto

Dicas para visitar o Museu do Louvre

Mas você ainda vai precisar de uma bela dose de paciência pois mesmo que você não passe por longas filas para entrar, lá dentro a multidão ensandecida por Monalisa pode te tirar do sério.

Pode se preparar para a chinesada enfiando o celular na sua cara para fazer uma selfie, entrando na sua frente quando você tenta se dedicar alguns míseros segundos para apreciar uma obra de arte ou a gritaria que alguns turistas aprontam e faz a gente pensar que estamos em qualquer lugar, menos no Louvre.

Depois de passar praticamente um dia vagando pelo Louvre, eu tenho algumas dicas para compartilhar com vocês.

Prepare as pernas, você vai andar muito


Dicas para visitar o Museu do Louvre


Gente, o Louvre é muito grande e não é brincadeira não, a gente precisaria de pelo menos uns 3 dias para visitar todo o museu com calma. Por tanto, a minha primeira dica é saber exatamente o que você quer ver.

O site do museu tem um mapa em PDF, inclusive em português, com todas as atrações do Louvre (clique aqui).

Museu do Louvre

Eu dividi a minha visita em duas partes, primeiro as antiguidades e depois as pinturas dos grandes mestres, deixei a Monalisa para o fim, pois é a parte mais estressante.

Para mim, vale muito a pena visitar os setores das antiguidades gregas, romanas, egípcias. Só essas áreas já valeria demais a visita, são centenas e centenas de esculturas, partes inteiras de templos gregos. A gente nem precisa ir até a Grécia para ver aquelas estátuas perfeitas e partes inteiras do Partenon.

As figuras gregas

Figuras gregas

Entre as antigas civilizações e os mestres pintores eu visitei uma parte bem vazia do Louvre, o Richelieu e Sully, que tem uma coleção incrível de obras de artistas franceses e o ponto alto foi a visita ao Apartamento de Napoleão. Sim, amigos, o apartamento do cara inteirinho transportado para dentro do Louvre.

Apartamento de Napoleão

Apartamento de Napoleão

Apartamento de Napoleão

Apartamento de Napoleão

Depois eu atravessei o Louvre novamente em direção a ala onde ficam as pinturas, e o momento mais esperado – e mais lotado – é o setor de Pintores Italianos e ali a gente toma um banho de Botticelli, Leonardo Da Vinci, Raffaello, Tiziano e Caravaggio. Certamente a maior concentração de mestres que você verá na sua vida.

La Liberté guidant le peuple de Eugène Delacroix

Les Sabines de Louise David

E a Monalisa?

É inegável que ela é a super estrela do lugar e tem muita gente que vai visitar o Museu do Louvre só para ver a maior obra do Da Vinci e certamente do museu também. Ela tem uma sala imensa praticamente só pra ela, olha o poder da moça?

Olha a multidão

Ela foi pintada entre 1503 e 1506, mede 77cm x 53cm. Sim, é pequena e muitas pessoas já devem ter dito isso para você, mas a distância que ela fica do público só a faz parecer menor em tamanho, mas gigante em magnetismo que atrai tanta gente do mundo inteiro.

Algumas pessoas ficam decepcionadas com o tamanho dela, eu fiquei feliz em estar no mesmo ambiente que uma super estrela com mais de 500 anos de idade e em plena forma e sorriso enigmático.

Monalisa



Se você estiver procurando onde ficar em Paris, aqui no blog tem um post bem completo explicando os melhores bairros e onde você deve evitar. Veja aqui. Mas deixo algumas dicas abaixo.

Na minha primeira vez em Paris me hospedei no hotel Bonséjour Montmartre, que tinha nada menos que 4 estações do metrô perto e ficava a uns 15 minutos de caminhada da Gare du Nord. Eu paguei o equivalente a 280 reais na diária com café da manhã.

Já na minha segunda vez em Paris eu fiquei no sensacional Hotel Saint-Louis Pigalle. O hotel também fica em Montmartre, coladinho na estação Pigalle do metrô. Entretanto o que eu mais gostei nesse hotel, é que os quartos tem uma atmosfera de casa. 

Tem hotéis que não tem como errar e o Mercure Paris Pigalle Sacre Coeur é certamente um deles. O hotel fica coladinho na Basílica de Sacré-Coeur e com estação de metrô ao lado. 

A rede Novotel não tem como errar, são hotéis confortáveis e com preços acessíveis. A dica aqui é o Novotel Paris Les Halles, que fica pertinho do Louvre e tem instalações modernas e muito confortáveis.

Hotel Opera Maintenon é um verdadeiro achado, um hotel duas estrelas, mas com conforto de hotel 4 estrelas e ótimo preço. 

Já pensou, ficar hospedado do lado da Torre Eiffel em Paris e sem pagar uma fortuna? A dica é o Hotel Royal Phare, um hotel super charmoso e confortável localizado a uma quadra da Champ de Mars e a uns 700 metros da Torre Eiffel. 

Outro hotel que é um pequeno achado em Paris, o Hotel De Suede Saint Germain é pequeno, aconchegante e fica em uma rua bem tranquila de Paris.


Como ir do Aeroporto Charles de Gaulle até o centro de Paris
Como ir do aeroporto de Orly até o centro da cidade
Como é passar pela imigração em Paris
Como usar o metrô de Paris
Conheça os 5 golpes mais comuns em Paris


O que fazer em Paris em 4 ou 5 dias
Como visitar a Torre Eiffel
Como visitar o Museu do Louvre sem pegar filas
Dicas para visitar o Museu do Louvre pela primeira vez
Como visitar o Arco do Triunfo
Île de La Cité e Catedral de Notre-Dame
O que fazer em Montmartre
Cemitério do Père-Lachaise










Reservando um serviço com um dos parceiros do blog, você ajuda o Vou na Janela a produzir mais conteúdo e não paga nada a mais por isso. O Vou na Janela só recomenda empresas e serviços em que confia.


mm

Fabricio Moura

Meu nome é Fabricio, moro em Bangkok na Tailândia, sou designer e apaixonado pelo mundo. Descobri que viajar é se perder e se encontrar. Se conhecer melhor e se amar mais. Acumular histórias e experiências. Vamos?

1 Comentário

  • […] na primavera, portanto, foi uma boa sacada ter ido ao museu mais tarde. Veja como o Fabrício, do Vou na Janela, viu a Mona Lisa. Ele deixou, contudo, uma boa dica de uma entrada do Louvre mais escondida e pouco […]

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.