Roteiro: o que fazer em Santiago do Chile?

o que fazer em Santiago

Santiago do Chile vem despontando como uma das cidades mais procuradas por brasileiros quando pensam em viajar para o exterior. Em 2013 a cidade foi o oitavo destino mais procurado. A facilidade de acesso e a entrada da Gol e da chilena Sky Airline na rota, quebrando o monopólio da TAM/LAN, impulsionou o turismo de brasileiros no país vizinho. Para você que está interessado e visitar a capital chilena, separei um top 1o com o que fazer em Santiago, com lugares que você não pode deixar de visitar + algumas dicas como bônus.


Cerro San Cristóbal


O Cerro San Cristobal é um dos pontos mais altos de Santiago, na verdade é o ponto mais alto que você conseguirá alcançar dentro da cidade, já que os outros são na Cordilheira dos Andes. Lá do alto, a gente tem uma das melhores vistas da cidade e de toda dimensão da capital chilena. No topo do morro fica o santuário e a estátua da Virgen de la Inmaculada Concepción.

Cerro San Cristóbal, o ponto mais alto de Santiago

Cerro San Cristóbal, o ponto mais alto de Santiago

O Cerro fica no bairro de BellaVista, bem próximo ao centro e de estações de metro. Para subir você poderá ir de carro, até determinado ponto ou pelo funicular, que é a opção mais divertida. Existe um teleférico, mas ele está desativado e não tem previsão de quando voltará a operar.

Funicular de Santiago

Funicular de Santiago

O Funicular de Santiago é patrimônio histórico nacional, foi inaugurado em 1925, percorre um trecho de 485 metros de extensão da estação Pio Nono no terreo, passando pela estação do Zoológico de Santiago e chegando ao cume. A viagem de ida e volta até o topo custa 2mil pesos ( aproximadamente R$10,00), para mais informações e horários de funcionamento: http://funicularsantiago.cl/

Eu fiz um vídeo em time-lapse descendo o Cerro pelo funicular, dá uma olhada para você como é legal esse passeio.


Cerro Santa Lucía


Uma das escadarias do Cerro Santa Lucia

Uma das escadarias do Cerro Santa Lucia

Outro ponto imperdível, este cerro é bem mais baixo que o San Cristóbal, mas eu acho que é o mais charmoso. Fica bem no centro da cidade, o acesso pode ser pela estação de metro de mesmo nome ou pela Avenida Libertador General Bernardo O’Higgins. O Cerro tem 69 metros de altura e foi aberto em 1872. São vários mirantes, pontes, escadas, passagens, grutas, quedas d’agua e o no topo uma torre com incrível vista da cidade.


Museu Nacional de Bellas Artes


Coladinho no Parque Florestal, fica o Bellas Artes, outro patrimônio nacional Chileno. O prédio foi erguido em 1910, mas o museu já existia desde 1880. É um dos mais antigos museus de arte da América Latina. No interior, um mixto de arte moderna, instalações vanguardistas e galerias e mais galerias com a história do Chile e da América Latina em óleo sobre tela.

Museu Nacional de Bellas Artes

Museu Nacional de Bellas Artes

O museu fica ao lado do Parque Florestal, metrô Bellas Artes e funciona de terça a domingo das 10h às 18h45 e a entrada é franca. Dica: Se você estiver com bolsa, reserve uma moedinha de 100 pesos para o guarda volumes. Mais informações no site


Plaza de Armas


Plaza de Armas, no Natal de 2014

Plaza de Armas, no Natal de 2014

A Plaza de Armas é o marco zero a cidade, foi onde em 1541 o espanhol Pedro de Valdívia fundou a cidade. No entorno da praça fica a magnífica Catedral Metropolitana de Santiago, o prédio dos Correios e o Museu Histórico Nacional. O museu não tem um acervo muito atraente, mas são lugares que valem a visita pelo contexto histórico e arquitetônico.


Centro Cultural La Moneda


Interior do centro cultural

Interior do centro cultural

O Centro cultural fica literalmente embaixo do Palácio de La Moneda, sede do Governo Chileno. Um lugar gigantesco que reúne mostras e exposições da cultura latino americana. Quando eu estive lá, a mostra principal era “Al ritmo de Brasil” e ocupava boa parte do centro cultural. Também tem cafés, restaurantes um cinema e lojas. Curiosamente foi o único lugar em Santiago onde eu encontrei wi-fi aberto e eles incentivam o uso e fazem propaganda disso. A entrada é gratuita e a melhor forma de chegar é pelo Metro La Moneda.


Mercado Municipal


Mercado Municipal de Santiago

Mercado Municipal de Santiago

Como conhecer melhor a cultura popular de um país? Visite o seus mercados! O de Santiago fica em uma parte bem movimentada do centro, ao lado de estações de ônibus e do Centro Cultural Mapocho. Não é o mercadão mais bonito que eu já visitei, mas vale para conhecer e comer uma variedade absurda de frutos do mar frescos que chegam diariamente do Pacífico. Honestamente, eu não sou um profundo conhecedor de crustáceos, mas fiquei surpreso com quantidade de espécies.

Dica: Vá pela manhã e almoce em um dos dois restaurantes o mercadão.


Museu Chileno de Arte Pré-Colombiana


Sala "Chile antes do Chile" no subsolo do museu.

Sala “Chile antes do Chile” no subsolo do museu.

O próprio prédio onde este museu está instalado já é por si só um ponto turístico, datado de 1805 e impecávelmente conservado, reúne uma linda coleção de mais de duas mil peças, algumas de mais de 4.500 antes da chegada de Cristóvão Colombo ao continente americano. As peças são separadas por áreas Mesoamericana (México), Caribenha, Intermédia (Equador e Colômbia), Andes Central (Peru e Bolívia), Sul Andina (Chile e Argentina), Chaco Brasileiro e Fogo Patagônia. No subsolo fica a coleção Chile, antes do Chile.

O museu fica a uma quadra da Plaza de Armas e abre de terça a domingo das 10h às 18hr. A entrada custa 3.500 pesos, aproximadamente R$15,00.

Dica: Vá mais cedo e aproveite para almoçar no restaurante do museu, a comida é deliciosa, o serviço impecável  e você não vai pagar mais que 5mil pesos por refeição.


Parque Florestal


Parque Florestal

Parque Florestal

O parque fica bem no meio de Santiago e vai da estação Metro Balquedano até o Mercado Municipal. O parque é delimitado de um lado pelo Rio Mapocho e do outro por casarões antigos com um toque de europeu. O Parque foi criado em 1905 e é aquele lugar que os Chilenos correm, padalam e praticam suas atividades físicas diárias.


Centro Cultural Gabriela Mistral


Hall de entrada do Centro Cultural Gabriela Mistral

Hall de entrada do Centro Cultural Gabriela Mistral

Novo e moderno, esse centro cultural leva o nome da primeira mulher de Pablo Neruda, a também ganhadora do Nobel de Literatura, Gabriela Mistral. Gabriela foi a primeira pessoa a receber essa honraria na América Latina em 1945. O complexo tem mais de 22 mil metros quadrados e mais de 10 salas que abrigam exposições,  musicais, espetáculos de dança e outras manifestações artísticas. O CGM, fica na Av. Libertador Bernardo O’Higgins, perto do Cerro Santa Lucía e acesso pelo metro Universidad Catolica. Como dentro do espaço existem vários anexos com horários de funcionamento diferentes, vale conferir no site todos os horários http://www.gam.cl/tu-visita.


Museu de História Natural


Museu de História Natural

Museu de História Natural

Quer ver Moais sem ter que ir até a Ilha de Páscoa? No Museu de História Natural tem, e tem bem mais que isso. Como o imenso esqueleto de baleia azul no hall de entrada, fósseis de dinossauros, uma imensa coleção de moluscos, borboletas e outros insetos. Outro destaque são os vestígios de culturas indígenas nativas e os rapanuis da Ilha de Páscoa. O museu fica no Parque Quinta Normal, com acesso pelo metrô pela estação com o mesmo nome. A entrada é gratuita e o museu funciona de terça a sábado das 10h às 17h30 e aos domingos de 11h às 17h30.

Dica 1: No parque Quinta Normal também fica o Museu Ferroviário e o Museu de Ciência e Tecnologia, ambos valem a visita. No Museu Ferroviário existe uma coleção de 20 locomotivas que ajudaram na construção e desenvolvimento do Chile.  Mais informações no site

Dica 2: Fora do parque, mas quase em frente a estação de metro Quinta Normal fica o Museu da Memória e dos Direitos Humanos. Visita obrigatória para entender como foi a sangrenta ditadura de Augusto Pinochet e de toda américa latina.


Casa do Pablo Neruda


La Chascona

La Chascona

O poeta chileno teve 3 casas e todas elas funcionam como museus. As casas ficam em Santiago, Valparaíso e Isla Negra. A casa de Santiago é a principal delas e fica perto do Cerro San Cristóbal, é conhecida como La Chascona e é onde também funciona a Fundação Pablo Neruda e a biblioteca do poeta. O lugar foi construído em 1952 para celebrar o amor de Pablo por sua última esposa, Matilde. A casa fica aberta de terça a domingo das 10h às 18h. A entrada custa 5 mil pesos, cerca de R$25,00 e todas as visitas são guiadas. Site: http://www.fundacionneruda.org/

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestPrint this page
mm

Fabricio Moura

Meu nome é Fabricio, moro em São Paulo, sou designer e apaixonado pelo mundo. Descobri que viajar é se perder e se encontrar. Se conhecer melhor e se amar mais. Acumular histórias e experiências. Vamos?

1 Comentário

  • Responder abril 25, 2017

    Paulo Ricardo Soares dos Santos

    Muitas saudades dessa cidade! Adorei Santiago em março de 2016

Deixe uma resposta