Termas Colina e Embalse El Yeso: passeio saindo de Santiago

Termas Colina

O passeio até o Termas Colina saindo de Santiago é muito procurado por quem visita a capital Chilena e normalmente esse passeio é combinado com o Embalse El Yeso, um imenso lago de água azul no meio da Cordilheira dos Andes.

***

Tanto o Termas Colina quanto o Embalse El Yeso ficam na região conhecida como Cajón de Maipo, bem no meio da Cordilheira dos Andes. É um passeio de um dia, já que a região fica distante 110km de Santiago e a estrada até lá é bem sinuosa, por isso o trajeto acaba sendo um pouco demorado.

Neste post eu vou falar sobre esse segundo passeio que eu fiz com a Barra Tours em Santiago, uma agência com sede no Chile e focada no público brasileiro e que me atendeu muito bem em Santiago.

Embalse el Yeso


Como é o passeio ao Termas Colina e Embalse El Yeso


A van da Barra Tours passou no meu hotel por volta das 6h da manhã, ainda estava bem escuro quando saímos de Santiago rumo a San Jose de Maipo, na região dos Andes.

Confesso que eu dormi no banco, culpa do Dramin que eu tomei por prevenção, já que as curvas da estrada são famosas por deixar os visitantes enjoados.

Só acordei na parada para o café da manhã, já no meio dos Andes. A distância já era possível ver o pico das montanhas davam o tom do que estaria por vir naquele dia. E por falar nisso, esse é aquele tipo de passeio em que a gente fica com os olhos grudados na janela. Uma nova paisagem, um novo cenário a todo momento diante dos nossos olhos.

Primeira parada a 1.800 metros de altitude

Logo depois de ingressar no meio dos Andes fizemos a primeira parada, a 1.800 metros acima do nível do mar. Uma pausa para respirar o ar puro, o corpo ir se acostumando com a altitude e claro, para fazer algumas fotos naquele cenário lindo.

A medida que o sol vai subindo por trás das montanhas, o cenário ao nosso redor é transformado com a intensidade da luz, um verdadeiro presente da natureza. E depois de dias muito quentes no Brasil, aquele frio gostoso no meio dos Andes era apenas mais um presente.

A paisagem no meio dos Andes

A estrada de asfalto dá lugar a estrada de terra, o caminho fica sinuoso e na beira do abismo. Entramos no belíssimo vale do Vulcão San José, onde fica o Termas Colina. Um conjunto de sete piscinas de água termal oriundas das profundezas da terra.

A temperatura das piscinas variam de 30 a 60 graus, tem propriedade medicinal e terapêutica. O ideal é começar pela piscina menos quente e ir subindo até a mais quente, onde raramente alguém se aventura. O recomendado é ficar no máximo 10 minutos em cada uma delas. Um convite ao relaxamento com uma das mais belas vistas do vale do Vulcão San José, a 3.100 metros de altitude.

O Termas Colina

Termas Colina

A vista do vale onde fica o Termas

Do Termas seguimos para o Embalse El Yeso, um gigantesco reservatório de água que existe desde 1964 e que abastece a cidade de Santiago. O Embalse é esse imenso lago de água que varia do turquesa ao esmeralda.

Embalse el Yeso

Embalse el Yeso

Embalse el Yeso

Paramos próximo ao fim do lago, o caminho até lá por uma estradinha sinuosa é para quem tem o coração forte. A vista compensa, é de encher os olhos. E para brindar a esse lugar lindo, uma mesa de queijos e vinhos foi preparada pelo nosso simpático guia.

A maneira perfeita para fechar o dia e na volta para Santiago, ainda demos uma paradinha na pequena e simpática San José de Maipo.

Um brinde na margem do Embalse


O que você precisa saber para fazer esse passeio


O Termas fica a uma altitude de mais de 3.000 metros e a altitude mexe bastante com o nosso corpo. Eu senti falta de ar e a boca muito seca, algumas pessoas sentiram náusea ou dor de cabeça. No meu caso, foi algo bem temporário, em questão de 20 minutos eu já estava acostumado.

A estrada até lá é bem sinuosa, vale tomar um remédio para enjoo. Mas não faça como eu, que tomei um Dramin e fiquei com sono uma boa parte do passeio.

No Termas existe um lugar com banheiros para as pessoas se trocarem antes de entrar nas piscinas e para tomar um banho depois. Mas a água é bem fria, esteja preparado. Leve roupa de banho, uma toalha e também um chinelo.

Leve água e algo para comer, não existem restaurantes por perto. Eventualmente o guia pode parar em algum lugarzinho de beira de estrada, mas não espere muita variedade.

O passeio pode ser feito em todo o ano, mas dê preferência para o período de outubro a abril, que é quando o clima é mais ameno e não há neve. No inverno a região fica coberta de neve e o passeio pode ser suspenso em razão das condições climáticas. Já no Embalse, durante o inverno o carro não chega até o melhor ponto para visitação, é preciso fazer uma caminhada de uns 2km até lá. Segurança em primeiro lugar, não é? Falando em temperatura, até mesmo no verão faz frio e venta muito, no inverno é um congelador.


Como fazer o passeio ao Termas Colina e Embalse El Yeso


A melhor maneira é fazer o passeio ao Termas Colina e Embalse El Yeso contratando uma agência.

Eu fiz este passeio com a Barra Tours, que foi uma das minhas parceiras nesta viagem. Mas fique tranquilo, o Vou na Janela só recomenda serviços e empresas em que confia.

A Barra Tours tem atendimento em português e é focada em atender o público brasileiro, site deles é  barratourschile.com.br e o Instagram é instagram.com/turismobarratoursbrasilchile


Onde se hospedar em Santiago


Aqui no blog tem um post super completo com dicas de onde se hospedar e onde não se hospedar em Santiago. Leia aqui

Ou você pode olhar a nossa lista completa de hospedagem em Santiago: clique aqui ou no box de ofertas abaixo. Reservando um hotel pelo Booking, você ajuda o blog e não paga nada a mais por isso.



Booking.com


Leia mais sobre Santiago


Planejando a sua viagem

Chegando em Santiago: imigração e transporte
Como chegar a Valparaíso e Viña de Mar
Onde ficar em Santiago
Transfer para Brasileiros do aeroporto até o centro da cidade
10 dicas grátis em Santiago

O que ver em Santiago

O que fazer em Santiago
Cerro Santa Lucía
Cerro San Cristóbal
Sky Costanera, o prédio mais alto da América do Sul
Parque Quinta Normal e seus museus
Valle Nevado em temporada de inverno

Passeios

Termas Colina e Embalse El Yeso em Cajón del Maipo
Valparaíso e Viña del Mar
Vinícola Emiliana, a maior vinícola orgânica do mundo
Casa de Pablo Neruda em Isla Negra


Sigam o Vou na Janela no Facebook e no Instagram


mm

Fabricio Moura

Meu nome é Fabricio, moro em Bangkok na Tailândia, sou designer e apaixonado pelo mundo. Descobri que viajar é se perder e se encontrar. Se conhecer melhor e se amar mais. Acumular histórias e experiências. Vamos?

Seja o primeiro a comentar

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.