Ásia dia 18: Mergulho em Phi Phi e viagem até Phuket

Mergulho em Phi Phi

Seria imperdoável se eu fosse para Phuket sem dar um mergulho em Phi Phi Island, a verdade, na região dos corais de Ko Phi Phi Le. Eu não tinha planejado nada, mas eram tantas agências oferecendo o passeio pelos becos da ilha que eu avaliei, vi que tinha um passeio meio express que cabia no meu orçamento, no meu tempo e fechei.

No pacote eles oferecem vários outros serviços, como filmagem e fotografia. Eu ia levar a minha GoPro de qualquer jeito, então não contratei filmagem, só algumas fotos pq queria ter esse momento registrado e me arrependi, as fotos ficaram péssimas, só algumas se salvaram.

Primeiro preciso dizer que é um mergulho com Snorkel em uma área bem rasa. Mas os caras ofereceram o mergulho profissa, aquele com equipamentos mas rolou um pequeno pânico, eu nunca mergulhei na vida, só com snorkel no passeio das 7 ilhas em Krabi. Mas também não é assim, do tipo, coloca a roupa e vai. Rola um treinamento antes, sobre como usar o equipamento, como subir, descer, como se comunicar com os guias e o mais importante: como respirar com aquela parafernália.

Veja também:
O que fazer em Phi Phi e como planejar a sua viagem
O que fazer em Phuket
O que fazer na Railay Beach em Krabi
Dicas de Koh Lipe: Como chegar e o que fazer

Mergulho em Phi Phi

Mergulho em Phi Phi

No eu caso, não teve o curso justamente porque era um mergulho simples. Saímos do pier da Tomsai por volta das 10h da manhã e em questão de 20 minutos já estávamos na região de mergulho. Chegando lá, todo mundo na água. Preciso confessar que a minha coordenação na água é caótica, vergonhoso.

Mas a vergonha passa quando diante dos olhos, lá está o coral! Lindo, repleto de peixes e não demorou muito pra ver o primeiro Peixe Palhaço, o Nemo! Sim, o Nemo! Eles são bem pequenos, jurava que eram maiores e também são super tímidos. Gastei uns bons minutos tentando fazer uma foto e por fim, meu prêmio abaixo:

Procurando Nemo

Mergulho em Phi Phi: Procurando Nemo

O mergulho em Phi Phi é rápido, não durou 30 minutos e fim da brincadeira. Mas valeu muito a pena! Saí de lá querendo tatuar um Nemo no braço de tanto amor pelo bichinho.

De volta a ilha eu corri pro hotel para fechar a conta e pegar o barco para Phuket às 2h30 da tarde. Como Phi Phi é minúscula, ainda deu tempo de contar com a parceiragem do pessoal do hotel com um late check-out de graça que ainda deu tempo de tomar um bom banho antes de voltar pro pier.

A viagem de Phi Phi a Phuket dura 2 horas, eu comprei a passagem pela internet com a Phuket Ferry, a mesma que eu usei para ir de Krabi a Phi Phi. Nesse primeiro trecho, foi tudo bem e na maior ordem.

Já nesse trecho a coisa foi bem diferente. O embarque em Phi Phi foi um caos. O pier lotado de pessoas embarcando e desembarcando, o único funcionário da Phuket Ferry não fica em um lugar identificável, não tem um balcão de informações e eu tive que perguntar umas quatro ou cinco pessoas qual barco eu deveria embarcar, já que nenhum deles tem o nome da empresa em que opera.

Piso inferior do barco

Piso inferior do barco

Achei o barco, esse era bem mais confortável que o da viagem anterior. Peguei 4 bancos vazios e dormi até Phuket. Chegando lá, mais dor de cabeça. Quando eu comprei a passagem, eu contratei o transfer até o meu hotel. Foi mega barato, 2 dólares o transfer e considerando que o pier fica mais ou menos 1 hora de distância da Patong Beach onde me hospedaria, foi de graça.

O problema é que no desembarque em Phuket, os motoristas ficam no pier gritando os nomes dos hotéis em Tailandês ou num inglês sofrível, tenta imaginar umas 300 pessoas desembarcando e completamente perdidas sem saber o que fazer. O serviço da Phuket Ferry é caótico e o pior que eu não sei se existe outra melhor, viu?! Lamentável.

Por fim, cheguei no hotel na Patong Beach, uma das regiões mais atingidas durante o Tsunami de 2004, falo mais disso amanhã. Bem bacaninha o hotel, quarto mega confortável e espaçoso com frigobar cheinho e all-inclusive e diária pelo equivalente a R$40,00. Eu amo a Tailândia!

Leia mais:
Todos os posts do mochilão pela Ásia


Reserve um passeio



Quando ir e quanto custa:
Qual é a melhor época para visitar a Tailândia
Quanto custa viajar para a Tailândia?
Custo de vida na Tailândia
Que moeda levar para a Tailândia

Imigração e serviços:
Chegando em Bangkok por Suvarnabhumi e Dom Mueang
As companhias aéreas low-cost da Tailândia
Como funciona o Grab, o Uber da Ásia
Chip de internet na Tailândia

Leia mais::
Perigos e golpes na Tailândia
15 coisas que você precisa saber antes de visitar
Songkran, o ano novo tailandês

Para organizar a sua viagem:
O que fazer em Bangkok
Onde ficar em Bangkok
Como usar o metrô de Bangkok

Roteiros em Bangkok:
O que fazer em Bangkok
O melhor roteiro de barco em Bangkok
8 experiências em Bangkok
O que fazer em Ayutthaya (bate volta)

Atrações de Bangkok:
Grand Palace e Wat Phra Kaew
Wat Arun: o templo do amanhecer
Wat Pho: o templo do Buda deitado
Passeios de barco em Bangkok
O melhor roteiro de barco em Bangkok
Chinatown e o templo do Buda de Ouro
Templo de Mármore em Bangkok
Templo Golden Mount
Mercado Flutuante
Mercado do trem
Khao San Road
Suan Pakkad Palace
Chatuchack Weekend Market
Asiatique
Iconsian
Jim Thompson House
Caminhe sobre Bangkok em uma passarela de vidro


Como chegar em Ayutthaya
O que fazer em Ayutthaya (bate volta)


O que fazer em Chiang Mai
Onde ficar em Chiang Mai
Aldeia das “mulheres girafa”
Tiger Kingdom
Templo Doi Suthep
Festival das Laternas de Chiang Mai
Uma experiência com os monges de Chiang Mai


Sukhothai, o berço da civilização tailandesa


Krabi & Railay Beach
Railay Beach, como chegar e o que fazer
Roteiro pelas ilhas saindo de Krabi
A ilha dos morcegos gigantes
Tour das 7 ilhas

Phi Phi Island
O que fazer em Phi Phi Islands
Como chegar em Phi Phi
Onde ficar em Phi Phi
Maya Bay
Mergulho em Phi Phi

Phuket
O que fazer em Phuket
Patong Beach em Phuket

Koh Lipe
O que fazer em Koh Lipe
Como chegar em Koh Lipe
Onde ficar

Koh Samui
Dicas de Koh Samui, como chegar e o que fazer
Três ilhas unidas por uma praia em Koh Ningyuan










Reservando um serviço com um dos parceiros do blog, você ajuda o Vou na Janela a produzir mais conteúdo e não paga nada a mais por isso. O Vou na Janela só recomenda empresas e serviços em que confia.


Compartilhe este post:
mm

Fabricio Moura

Meu nome é Fabricio, moro em Bangkok na Tailândia, sou designer e apaixonado pelo mundo. Descobri que viajar é se perder e se encontrar. Se conhecer melhor e se amar mais. Acumular histórias e experiências. Vamos?

Seja o primeiro a comentar

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.