Coisas que só quem vive na Tailândia consegue perceber

mora na Tailândia

Depois de morar em Bangkok, eu gostaria de compartilhar com vocês algumas coisas que só percebe quem viveu lá.

Algumas curiosidades e informações interessantes tanto para quem vai a passeio, quanto para quem pretende fazer como eu e viver na Tailândia por um tempo. E se você está curioso para saber como eu vim parar nessa terra distante, dá uma olhada nesse post.

Antes de entrar nesse assunto, recomendo ler esse post onde eu explico como é é morar na Tailândia. Recomendo também esse post com o custo de vida na Tailândia.


Coisas que só quem mora na Tailândia consegue perceber


Em que ano estamos?

Enquanto a maioria dos países seguem o calendário gregoriano, onde o ano atual é 2019, aqui na Tailândia eles seguem o calendário budista. Isso significa que aqui nós estamos no ano 2561, são 543 anos a frente do ocidente. A partir de abril será 2562.

A sorte é que em boa parte dos lugares frequentados por turistas, as informações – quando necessárias – seguem o calendário gregoriano. Mas para quem é ocidental e mora na Tailândia, às vezes dá um nó na cabeça. Imagina só você ir no supermercado e pegar um produto com a data de validade para daqui a uns 500 anos?! Ou quando você vai no banco, ou quando precisa preencher um simples documento?  É bem confuso, mas com o tempo a gente se acostuma.

Só quem mora na Tailândia consegue perceber: Em que ano estamos?


Vaidade

Os tailandeses são super vaidosos, basta circular pelo metrô para perceber como eles se vestem bem, geralmente são os turistas que andam bem desarrumados, desgrenhados e mulambentos. Tipo mochileiros da Khao San, desculpa aí, apenas trago verdades! Já os locais estão sempre com o cabelo impecável e a pele bem cuidada. Falando em pele, o tópico seguinte fala disso.

Só quem mora na Tailândia consegue perceber: High class


High class

Não só na Tailândia, mas na Ásia de uma forma geral, existe uma busca constante da pele perfeita e quanto mais branco o sujeito for, melhor. É só olhar na TV ou nos anúncios espalhados pela cidade, todo mundo extremamente branco, e sempre muito além da realidade. Existem uma variedade gigante de cosméticos que prometem branquear a pele. É surreal! Uma obsessão generalizada. Outro dia eu entrei em uma farmácia e já na porta me deram dois sachês de amostra grátis de um creme super popular aqui e que deixa a gente branco feito um morto vivo.

Fui perguntar a um amigo Tailandês a razão disso e ele me disse que quanto mais branco, maior é o símbolo de status dentro da sociedade tailandesa, nas palavras dele, é “high class”. Os bronzeados ou mais moreninhos são associados a trabalhadores rurais ou quem trabalha na rua. Essa associação também é muito comum na China e na Coréia do Sul. Mas isso é entre eles, fica tranquilo que ninguém vai julgar aquele bronzeado espetacular que você pegou nas ilhas tailandesas, e se julgassem, azar o deles, né?

Cosméticos para “clarear” a pele


Preço

Não é mito, o custo de vida na Tailândia é sim muito barato, mas talvez você não saiba que não é tudo tão baratinho assim, especialmente para quem mora aqui. O que a Tailândia ou países vizinhos não produzem, acaba sendo bem caro. Por exemplo, o café torrado e moído (igual a gente está acostumado no Brasil), custa uma pequena fortuna. Um pacotinho de 250 gramas custa o equivalente a 25 reais. Muito caro para os padrões locais e para nós também.

Derivados de leite como o queijo, manteiga e iogurte também são bem caros, todos vem da Europa ou Austrália. Algumas frutas como a maçã e o morango tem o preço bem elevado, pois são importados dos Estados Unidos ou Canadá. Vinhos e azeite então, é pela hora da morte.

Por outro lado, as frutas tropicais (banana, mamão, abacaxi, melancia e melão) são mega baratos. O frango, arroz, massas e verduras também são muito baratos. Montar uma casa aqui custa menos da metade do Brasil. Eletrônicos e eletrodomésticos, por exemplo, é ridículo de tão barato. Uma geladeira duplex daquelas de casa de gente rica custa menos de 800,00 reais. Quase inacreditável.

Recomendo ler esse post com o custo de vida na Tailândia.

Eletrodomésticos são muito baratos


Cigarro

Na Tailândia o fumo é quase um assunto de guerra, é proibido fumar em praticamente todos os lugares públicos, até mesmo nas ruas. O fumo é permitido apenas em lugares determinados e são poucos. E a política vai além, no prédio onde eu moro é proibido fumar até dentro de casa, todos os apartamentos possuem sensores que detectam a fumaça e rende uma multa pesada de até 5.000 bahts (577 reais) para quem infringir a regra. Na TV eu notei que nos filmes estrangeiros é colocado um desfoque na cena quanto o ator está fumando ou consumindo bebidas alcóolicas. E falando em TV…

Só quem mora na Tailândia consegue perceber: desfoque nas bebidas e cigarros


O governo e a televisão

A Tailândia é uma monarquia constitucional e basta ligar qualquer canal de TV tailandês para constatar o domínio da monarquia sobre a mídia local. Os canais de TV não podem veicular notícias sobre a monarquia em seus telejornais, só casos extraordinários como foi a morte do Rei Bhumibol em 2016. Todas as notícias sobre a monarquia são produzidas pela casa real e um telejornal de 30 minutos é distribuído diariamente para os canais de TV transmitirem na íntegra todos os dias às 20h. Ou seja, todos os dias às 20h o mesmo programa é exibido em todos os canais de TV.

Ficou chocado? Tem mais! Na verdade essa presença do governo na televisão começa 2 horas antes, às 18h todas as emissoras exibem o hino nacional em rede e em seguida começa um telejornal produzido pelo ministério das comunicações com as notícias do governo. Obras que foram feitas, projetos em andamento, esse tipo de coisa. E só esse jornal pode mostrar esse tipo de assunto. Nenhum canal de televisão pode cobrar uma obra atrasada ou projeto que nunca saiu do papel. Existe um nome para isso mas eu prefiro nem dizer.

Só quem mora na Tailândia consegue perceber: o telejornal real


Monarquia

E já que estamos falando da Monarquia Tailandesa, o Rei Bhumibol, que faleceu em 2016, reinou por 70 anos! Um dos monarcas mais antigos a frente de um país. E ele era idolatrado pelo povo, tanto que o seu velório durou 1 ano, onde todos os tailandeses usavam roupas pretas durante o período de luto. Um imenso palácio foi construído apenas para a cerimônia de cremação do corpo e dele e depois tudo foi desmontado. Algo realmente impressionante.

Só quem mora na Tailândia consegue perceber: a imagem do rei em todos os lugares

O novo rei é o seu filho mais velho, Príncipe Maha Vajiralongkorn. Só que o novo rei é visto como “um playboy gastador”, que viveu boa parte da vida na Europa, longe do povo e dos problemas do país. Um trabalho imenso de mídia foi feito para melhorar a imagem do cara, mas não funcionou. O novo rei fica meses sem aparecer em público e a sua irmã mais velha, Princesa Maha Chakri Sirindhorn é hoje a figura mais popular e mais amada da família real tailandesa. A Princesa Sirindhorn faz diversos trabalhos voluntários, di-a-ri-a-men-te! A mulher é idolatrada e vou confessar, ela merece.

E se o rei for passar, todo mundo precisa sentar no chão


Trânsito

Não é novidade para ninguém que o trânsito de Bangkok é uma loucura generalizada, mas a verdade é que existe muita ordem nesse caos aparente e pasmem, ninguém se estressa e a gente não ouve buzinas. Será que eles já aprenderam que buzinar não vai “teletransportar” o carro da frente? Que nada, o Tailandês é um povo muito discreto, do tipo que não gosta de chamar atenção e prezam muito pelo silêncio. Por isso, eles nem pensam em usar a buzina.

Como é morar na Tailândia

Só quem mora na Tailândia consegue perceber: vida corrida, mas nem tanto


Vida acelerada?

Se por um lado os carros praticamente voam pelas autopistas e avenidas de Bangkok, por outro lado as pessoas levam um ritmo bem devagar e calmo. Parece contraditório, de certa forma é mesmo, mas o Tailandês faz tudo com muita calma, paciência e assertividade. Não correm apressados, não gritam, não falam alto e tudo isso tem muito a ver com os ensinamentos do budismo, a religião de mais de 90% da população.

Pequenos monges

No começo, acostumado com o ritmo louco de São Paulo, eu  ficava incomodado com as pessoas andando devagar na minha frente. Sem pressa para entrar ou sair do vagão do metrô ou em uma loja, no banco, no shopping. Mas isso foi me desacelerando aos poucos, e no fundo é bom viver mais calmamente, nem tudo é para ontem! Mas confesso que tive dias de querer jogar 5 tailandeses da escada rolante hahaha.

***

Viver na Tailândia foi um aprendizado novo a cada dia,  eu aprendi a me alimentar melhor, a cuidar mais de mim, a me amar mais e a desacelerar. Como este provérbio budista:

“A paz vem de dentro. Não a procure fora.”




Eu já estive em Bangkok mais 5 vezes e aliás, já morei lá durante o ano de 2018. Todos os hotéis que eu vou indicar neste post eu já conheço e já me hospedei neles. Leia o post completo com todas as dicas ou confira os principais destaques aqui embaixo:

Rambuttri Village Plaza é um achado! Ele fica no coração do centro histórico de Bangkok, pertinho da Khao San. Embora essa região seja bem cheia, ele fica em uma rua super gostosa e bem tranquila. E foi neste hotel que eu me hospedei em duas ocasiões em Bangkok.

Amara Bangkok faz parte de uma rede de hotéis lá da Ásia, com duas unidades em Singapura, uma em Xangai e este em Bangkok. E não é exagero dizer, esse foi o melhor hotel que eu fiquei em Bangkok.

Prime Hotel Central Station foi reformado a pouco tempo, o quarto era enorme, com uma cama muito confortável. Uma bela vista da estação Hua Lampong, de onde saem os trens para Ayutthaya e para todos os cantos da Tailândia. 

The Quarter Ladprao fica em uma localização super estratégica em Bangkok, perto do Aeroporto Don Mueang e com fácil acesso de trem ao Aeroporto Internacional Suvarnabhumi.

Por fim, um hotel para quem está em trânsito. Eu fiquei no Suvarnabhumi Ville Airport Hotel durante uma conexão longa no Aeroporto Internacional Suvarnabhumi. O hotel fica ao lado do aeroporto, coladinho na pista. Inclusive eles tem um bar no rooftop – que serve drinks maravilhosos e ótimos pratos –  e de onde temos uma vista sensacional dos pousos e decolagens.


Quando ir e quanto custa:
Qual é a melhor época para visitar a Tailândia
Quanto custa viajar para a Tailândia?
Custo de vida na Tailândia
Que moeda levar para a Tailândia

Imigração e serviços:
Chegando em Bangkok por Suvarnabhumi e Dom Mueang
As companhias aéreas low-cost da Tailândia
Como funciona o Grab, o Uber da Ásia
Chip de internet na Tailândia

Leia mais::
Perigos e golpes na Tailândia
15 coisas que você precisa saber antes de visitar
Songkran, o ano novo tailandês

Para organizar a sua viagem:
O que fazer em Bangkok
Onde ficar em Bangkok
Como usar o metrô de Bangkok

Roteiros em Bangkok:
O que fazer em Bangkok
O melhor roteiro de barco em Bangkok
8 experiências em Bangkok
O que fazer em Ayutthaya (bate volta)

Atrações de Bangkok:
Grand Palace e Wat Phra Kaew
Wat Arun: o templo do amanhecer
Wat Pho: o templo do Buda deitado
Passeios de barco em Bangkok
O melhor roteiro de barco em Bangkok
Chinatown e o templo do Buda de Ouro
Templo de Mármore em Bangkok
Templo Golden Mount
Mercado Flutuante
Mercado do trem
Khao San Road
Suan Pakkad Palace
Chatuchack Weekend Market
Asiatique
Iconsian
Jim Thompson House
Caminhe sobre Bangkok em uma passarela de vidro


Como chegar em Ayutthaya
O que fazer em Ayutthaya (bate volta)


O que fazer em Chiang Mai
Onde ficar em Chiang Mai
Aldeia das “mulheres girafa”
Tiger Kingdom
Templo Doi Suthep
Festival das Laternas de Chiang Mai
Uma experiência com os monges de Chiang Mai


Sukhothai, o berço da civilização tailandesa


Krabi & Railay Beach
Railay Beach, como chegar e o que fazer
Roteiro pelas ilhas saindo de Krabi
A ilha dos morcegos gigantes
Tour das 7 ilhas

Phi Phi Island
O que fazer em Phi Phi Islands
Como chegar em Phi Phi
Onde ficar em Phi Phi
Maya Bay
Mergulho em Phi Phi

Phuket
O que fazer em Phuket
Patong Beach em Phuket

Koh Lipe
O que fazer em Koh Lipe
Como chegar em Koh Lipe
Onde ficar

Koh Samui
Dicas de Koh Samui, como chegar e o que fazer
Três ilhas unidas por uma praia em Koh Ningyuan










Reservando um serviço com um dos parceiros do blog, você ajuda o Vou na Janela a produzir mais conteúdo e não paga nada a mais por isso. O Vou na Janela só recomenda empresas e serviços em que confia.

mm

Fabricio Moura

Meu nome é Fabricio, moro em Bangkok na Tailândia, sou designer e apaixonado pelo mundo. Descobri que viajar é se perder e se encontrar. Se conhecer melhor e se amar mais. Acumular histórias e experiências. Vamos?

2 Comentários

  • Responder abril 30, 2019

    Dalton Maxwell

    Muito enriquecedor saber desses temas abordados por você, algumas de minhas dúvidas foram respondidas e agradeço por isso! Continue postando, pois é incrível saber da sua trajetória, sem contar que você nos fornecesse informações úteis para quem quer ir apenas para visitar ou para morar de fato. Sawadee krap!

    • mm
      Responder abril 30, 2019

      Fabricio Moura

      Oi Dalton, mais uma vez, obrigado pelas palavras. Muito bom receber feedbacks como o seu.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.