Como usar o metrô de Bangkok na Tailândia: guia completo

Como usar o metrô de Bangkok

Se você estiver procurando informações de como usar o metrô de Bangkok, este post foi feito para você. Depois de tantas visitas a capital tailandesa e agora morando aqui, eu confesso que já estou especialista nesse metrô que pode parecer confuso, mas que é bem mais simples do que você imagina.

Bangkok tem uma boa rede de transporte público, que atende uma enorme área da cidade e que ajuda demais na hora de se locomover. Mas esqueçam os ônibus, eles são praticamente impossíveis de usar, pois todas as informações são todas em tailandês e as linhas são absurdamente confusas. Por isso, nesse post vamos focar no metrô, ok?


Mas antes, vamos entender o metrô de Bangkok


O Transporte Metroviário de Bangkok é formado por dois sistemas: O MTS e o BTS. O MTS tem duas linhas (azul e roxa), a azul é toda subterrânea e liga o centro da cidade a zona norte, onde faz conexão com a linha roxa, que é suspensa e vai além de Bangkok, para Nonthaburi na região metropolitana.

Já o BTS tem duas linhas (verde claro e a verde escura), é o metrô suspenso, que serpenteia pelo centro da cidade e vai para algumas partes do sul e leste da cidade.

Ambos os sistemas se complementam, muitas estações tem pontos de conexão entre elas, mas a má notícia é que as redes não são integradas. Se você precisar fazer a integração entre MST e BTS, terá que comprar outro bilhete. Até os bilhetes são diferentes, o MTS é uma moeda e o BTS é um cartão, é para não ter confusão mesmo.

Além disso, existe Airport Train Link, a linha que vai até o Aeroporto Internacional Suvarnabhumi, uma mão na roda para quem estiver chegando ou saindo de Bangkok. Leia mais sobre esse serviço aqui.

Como usar o metrô de Bangkok: Interior dos vagões

Pode ser bem cheio e lento

No metrô de Bangkok é quase sempre horário de pico. Das 7h às 10h da manhã e das 15h às 20h é sempre muito cheio, prepare-se para muitas filas e vagões lotados. Já fiquei quase 20 minutos em uma fila para comprar bilhete e mais uns tantos minutos para embarcar. O lado positivo é que ninguém se estressa, não tem bate-boca e todo mundo mantém a ordem. Eu sempre digo que a gente tem muito o que aprender com essa serenidade oriental.

Como usar o metrô de Bangkok: Estação do BTS

Mas o que ajuda a deixar o metrô de Bangkok ainda mais cheio são os trens pequenos (a linha roxa tem composições de apenas 3 vagões) e o longo intervalo entre elas, mais de 5 minutos no horário de pico e até 10 minutos fora do horário de pico e nos finais de semana e feriados. Aí não tem jeito né? As estações vão enchendo mesmo.

Por outro lado, nos finais de semana costuma ser muito tranquilo, com estações até mesmo desertas.

Estação do MTS em um domingo

Poucas linhas?

Somando as linhas do MST e o BTS são apenas 4 linhas, além claro, da linha do aeroporto. Pode parecer pouco, mas as linhas fazem tantas voltas pela cidade que elas conseguem cobrir uma área muito grande de Bangkok. E em diversos pontos, vemos novas linhas e estações sendo construídas, o metrô de Bangkok vive um momento de grande expansão e pode ser que quando você vier, a cidade já tenha mais linhas e estações.

O lado ruim é que o MST e BTS não chegam até a região do Grand Palace e Khao San Road, que é apenas a parte mais visitada da cidade, mas quem sabe no futuro? Existem planos e trabalhos para levar o metrô até lá.

Vagão do MTS


Como usar o metrô de Bangkok


A primeira coisa que você precisa é de um mapa, para saber onde você está e claro, para onde você vai. Assim você já saberá se precisará usar o MTS, o BTS ou ambos.

No site do MTS dá para fazer a simulação dos trajetos: transitbangkok.com

Veja o mapa atualizado aqui

Depois você precisa comprar o bilhete e o custo é calculado de acordo com a distância viajada. Podendo variar de 16 baths (2,02 reais) a 59 baths (7,46 reais) para a distância mais longa.

Nas estações existem máquinas automáticas de vendas de bilhetes. No MTS as máquinas são mais modernas, com tela sensível ao toque e com versão em inglês. Estas máquinas aceitam pagamentos em notas e moedas. Basta selecionar na tela a estação de destino, fazer o pagamento e pronto. Algumas estações mais movimentadas tem bilheterias, nas estações menores só tem a máquina, mas funciona super bem.

Como usar o metrô de Bangkok: Máquina do MTS


A moeda que funciona como bilhete do MTS

Já no BTS as máquinas são mais antigas, primeiro você precisa olhar no mapa ao lado a sua estação de destino. O número ao lado do nome da estação é o valor da tarifa. Depois selecione no painel vermelho o valor correspondente, faça o pagamento (essas máquinas só aceitam moedas) e retire o bilhete. Se tiver troco, ele vai sair na gaveta logo abaixo.

Como usar o metrô de Bangkok: Máquina d BTS


Bilhete do BTS

Se você não dispor de moedas, dá para comprar o bilhete nas bilheterias. Só dizer a estação de destino e pronto. Os atendentes já estão acostumados com quem não fala tailandês.

Depois é só seguir para a plataforma e embarcar. Todas as placas são sinalizadas em inglês e tailandês, é impossível se perder e dentro dos vagões os avisos são também nos dois idiomas.

Como usar o metrô de Bangkok: As estações são bem sinalizadas


Sinalização

Usar o metrô de Bangkok é mais simples do que você imagina e a tendência é que ele fique melhor, pois já mudou muito desde a primeira vez que eu estive na Tailândia em 2016.

Coisas que você precisa saber

  • Guarde o bilhete, você precisará dele para sair da estação ao chegar ao seu destino.
  • Se você comprar o bilhete até uma estação e descer em outra que tiver a tarifa mais cara, a catraca vai travar. Você precisará procurar o balcão de serviços e pagar a diferença para poder sair.
  • Na entrada das estações tem detector de metais e revista de bolsas e mochilas. É bem superficial e não vi revistas nos horários de pico.
  • Se um monge entrar no vagão, você deve imediatamente ceder o seu lugar.
  • É proibido comer, beber, falar alto, fumar e transportar grandes volumes dentro dos vagões. Malas são permitidas, mas não recomendo pegar o metrô com malas no horário de pico.
  • Sempre espere todos os passageiros saírem antes de embarcar, os tailandeses respeitam muito essa regra e nas estações de ponta de linha, os vagões são vistoriados pelo pessoal de segurança antes de autorizarem o embarque e todo mundo espera bonitinho em fila.
  • O MTS funciona das 6h da manhã até a meia-noite e o BTS funciona de 6h30 da manhã até a meia-noite. Mas algumas estações começam a fechar para embarque a partir das 23h30.


Eu já estive em Bangkok mais 5 vezes e aliás, já morei lá durante o ano de 2018. Todos os hotéis que eu vou indicar neste post eu já conheço e já me hospedei neles. Leia o post completo com todas as dicas ou confira os principais destaques aqui embaixo:

Rambuttri Village Plaza é um achado! Ele fica no coração do centro histórico de Bangkok, pertinho da Khao San. Embora essa região seja bem cheia, ele fica em uma rua super gostosa e bem tranquila. E foi neste hotel que eu me hospedei em duas ocasiões em Bangkok.

Amara Bangkok faz parte de uma rede de hotéis lá da Ásia, com duas unidades em Singapura, uma em Xangai e este em Bangkok. E não é exagero dizer, esse foi o melhor hotel que eu fiquei em Bangkok.

Prime Hotel Central Station foi reformado a pouco tempo, o quarto era enorme, com uma cama muito confortável. Uma bela vista da estação Hua Lampong, de onde saem os trens para Ayutthaya e para todos os cantos da Tailândia. 

The Quarter Ladprao fica em uma localização super estratégica em Bangkok, perto do Aeroporto Don Mueang e com fácil acesso de trem ao Aeroporto Internacional Suvarnabhumi.

Por fim, um hotel para quem está em trânsito. Eu fiquei no Suvarnabhumi Ville Airport Hotel durante uma conexão longa no Aeroporto Internacional Suvarnabhumi. O hotel fica ao lado do aeroporto, coladinho na pista. Inclusive eles tem um bar no rooftop – que serve drinks maravilhosos e ótimos pratos –  e de onde temos uma vista sensacional dos pousos e decolagens.


Quando ir e quanto custa:
Qual é a melhor época para visitar a Tailândia
Quanto custa viajar para a Tailândia?
Custo de vida na Tailândia
Que moeda levar para a Tailândia

Imigração e serviços:
Chegando em Bangkok por Suvarnabhumi e Dom Mueang
As companhias aéreas low-cost da Tailândia
Como funciona o Grab, o Uber da Ásia
Chip de internet na Tailândia

Leia mais::
Perigos e golpes na Tailândia
15 coisas que você precisa saber antes de visitar
Songkran, o ano novo tailandês

Para organizar a sua viagem:
O que fazer em Bangkok
Onde ficar em Bangkok
Como usar o metrô de Bangkok

Roteiros em Bangkok:
O que fazer em Bangkok
O melhor roteiro de barco em Bangkok
8 experiências em Bangkok
O que fazer em Ayutthaya (bate volta)

Atrações de Bangkok:
Grand Palace e Wat Phra Kaew
Wat Arun: o templo do amanhecer
Wat Pho: o templo do Buda deitado
Passeios de barco em Bangkok
O melhor roteiro de barco em Bangkok
Chinatown e o templo do Buda de Ouro
Templo de Mármore em Bangkok
Templo Golden Mount
Mercado Flutuante
Mercado do trem
Khao San Road
Suan Pakkad Palace
Chatuchack Weekend Market
Asiatique
Iconsian
Jim Thompson House
Caminhe sobre Bangkok em uma passarela de vidro


Como chegar em Ayutthaya
O que fazer em Ayutthaya (bate volta)


O que fazer em Chiang Mai
Onde ficar em Chiang Mai
Aldeia das “mulheres girafa”
Tiger Kingdom
Templo Doi Suthep
Festival das Laternas de Chiang Mai
Uma experiência com os monges de Chiang Mai


Sukhothai, o berço da civilização tailandesa


Krabi & Railay Beach
Railay Beach, como chegar e o que fazer
Roteiro pelas ilhas saindo de Krabi
A ilha dos morcegos gigantes
Tour das 7 ilhas

Phi Phi Island
O que fazer em Phi Phi Islands
Como chegar em Phi Phi
Onde ficar em Phi Phi
Maya Bay
Mergulho em Phi Phi

Phuket
O que fazer em Phuket
Patong Beach em Phuket

Koh Lipe
O que fazer em Koh Lipe
Como chegar em Koh Lipe
Onde ficar

Koh Samui
Dicas de Koh Samui, como chegar e o que fazer
Três ilhas unidas por uma praia em Koh Ningyuan










Reservando um serviço com um dos parceiros do blog, você ajuda o Vou na Janela a produzir mais conteúdo e não paga nada a mais por isso. O Vou na Janela só recomenda empresas e serviços em que confia.


mm

Fabricio Moura

Meu nome é Fabricio, moro em Bangkok na Tailândia, sou designer e apaixonado pelo mundo. Descobri que viajar é se perder e se encontrar. Se conhecer melhor e se amar mais. Acumular histórias e experiências. Vamos?

2 Comentários

  • Responder outubro 3, 2019

    Paola

    Obrigada pelas dicas!

    • mm
      Responder outubro 4, 2019

      Fabricio Moura

      Disponha! =)

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.