Como é voar com a Thai Lion Air, uma low-cost da Tailândia

Como é voar com a Thai Lion

No giro que eu fiz pela Ásia eu usei duas companhias aéreas low-cost asiáticas para os meus deslocamentos entre as cidades por onde eu passei e uma delas foi a Thai Lion Air.

A Thai Lion Air é a filial tailandesa da Lion Air e faz parte de um grupo de empresas aéreas que atuam no sudeste asiático e nesse post eu vou contar como é voar com a Thai Lion, essa empresa pouco conhecida aqui no Brasil mas que presta um bom serviço lá do outro lado do mundo.

Eu voei com eles de Bangkok a Chiang Mai e depois de Bangkok a Krabi, no sul da Tailândia e vou falar como foi a viagem até Chiang Mai, já que não muda em nada de uma rota para outra.

Leia outras avaliações aqui

Boeing 737-900 da Thai Lion Air


Como é voar com a Thai Lion Air


Compra da passagem

Eu comprei todos os trechos que voaria com a Thai Lion Air pelo site deles, que tem uma versão em inglês muito simples de usar. Não tem mistério, fiz o pagamento com cartão de crédito internacional e em questão de minutos já estava com a confirmação da reserva no meu email.

Site: http://www.lionairthai.com/en/

Na época o preço da Thai Lion estava melhor que os da Air Asia, a sua principal concorrente. Porém, mesmo que o preço estivesse ligeiramente acima, valia a pena pois a Thai Lion oferece 3 serviços que a Air Asia cobra por eles: marcação de poltronas; despacho de uma mala de até 15kg e lanche a bordo. Ok, esse lanche era só 1 (um) biscoito e um copinho de água, mas estava valendo muito só pela marcação da poltrona e despacho de bagagem.

Checkin

Em Bangkok a Thai Lion opera no terminal doméstico do Aeroporto Dom Mueang, onde eles tem duas enormes ilhas de checkin e mesmo assim estava lotado na hora em que eu cheguei no aeroporto.

Como a fila não andava muito, os funcionários passavam perguntando qual era o voo, caso estivesse em cima da hora o passageiro era levado para um balcão de prioridades.

Checkin em Bangkok

Checkin em Bangkok

Embarque

O Aeroporto Internacional Dom Mueang é o antigo aeroporto internacional da cidade, hoje ele é usado pelas low-cost e algumas empresas menores, é incrivelmente movimentado. O tamanho da sala de embarque é imenso e são 3 piers só para os embarques domésticos.

Leia mais: Chegando em Bangkok pelos aeroportos Suvarnabhumi ou Dom Mueang

Faltando 30 minutos para a partida o embarque nem estava próximo de começar, mas milagrosamente decolamos na hora certa. O pessoal de terra da Thai Lion foi muito eficiente.

A aeronave

Todos os voos que eu fiz com a Thai Lion foram nos Boeings 737-900ER, o maior da família 737, equipado com 214 poltronas no formato 3-3. Socorro! Mais de 200 pessoas num 737! Sim, é apertado, bem mais apertado que os 737-800 da Gol para servir de comparação.

Boeing 737-900 no gate em Bangkok

Boeing 737-900 no gate em Bangkok

Eu tenho 1.77m e fiquei espremido na poltrona, sorte que era um voo curto de pouco mais de 1h de duração. Na volta o funcionário do checkin me ofereceu o assento da saída de emergência sem custo adicional, o que foi maravilhoso.

No geral o estado de conservação da aeronave é bom, estava tudo bem limpo e organizado.

O espaço é sofrível

O espaço é sofrível

Saída de emergência

Voo e serviço de bordo

A aeronave deixou o finger na hora certa e apesar do tráfego intenso naquele fim de tarde, não demoramos para decolar.

Alguns minutos após a decolagem começou o serviço de bordo. Como cortesia só o tal biscoito e um copinho de água, mas tinham algumas opções pagas (mais para o paladar asiático) e com bom preço.

Olha o biscoito aí

Olha o biscoito aí

Entretenimento

Esquece! Não existe! Nas telinhas da aeronave ficam passando comerciais de TV em tailandês e no bolsão da poltrona tem a Revista Lionmag que até que não era das piores, mas os textos em inglês eram só pequenos resumos das matérias. Mas para um voo curto, nada que um iPod ou um livro não resolva.

Vale a pena?

Como disse acima, vale por conta da possibilidade de marcar a poltrona e despachar uma mala sem custo adicional. Em geral, os preços da Thai Lion são bons e como todos os voos são curtos, vale o pequeno sacrifício.



Eu já estive em Bangkok mais 5 vezes e aliás, já morei lá durante o ano de 2018. Todos os hotéis que eu vou indicar neste post eu já conheço e já me hospedei neles. Leia o post completo com todas as dicas ou confira os principais destaques aqui embaixo:

Rambuttri Village Plaza é um achado! Ele fica no coração do centro histórico de Bangkok, pertinho da Khao San. Embora essa região seja bem cheia, ele fica em uma rua super gostosa e bem tranquila. E foi neste hotel que eu me hospedei em duas ocasiões em Bangkok.

Amara Bangkok faz parte de uma rede de hotéis lá da Ásia, com duas unidades em Singapura, uma em Xangai e este em Bangkok. E não é exagero dizer, esse foi o melhor hotel que eu fiquei em Bangkok.

Prime Hotel Central Station foi reformado a pouco tempo, o quarto era enorme, com uma cama muito confortável. Uma bela vista da estação Hua Lampong, de onde saem os trens para Ayutthaya e para todos os cantos da Tailândia. 

The Quarter Ladprao fica em uma localização super estratégica em Bangkok, perto do Aeroporto Don Mueang e com fácil acesso de trem ao Aeroporto Internacional Suvarnabhumi.

Por fim, um hotel para quem está em trânsito. Eu fiquei no Suvarnabhumi Ville Airport Hotel durante uma conexão longa no Aeroporto Internacional Suvarnabhumi. O hotel fica ao lado do aeroporto, coladinho na pista. Inclusive eles tem um bar no rooftop – que serve drinks maravilhosos e ótimos pratos –  e de onde temos uma vista sensacional dos pousos e decolagens.


Quando ir e quanto custa:
Qual é a melhor época para visitar a Tailândia
Quanto custa viajar para a Tailândia?
Custo de vida na Tailândia
Que moeda levar para a Tailândia

Imigração e serviços:
Chegando em Bangkok por Suvarnabhumi e Dom Mueang
As companhias aéreas low-cost da Tailândia
Como funciona o Grab, o Uber da Ásia
Chip de internet na Tailândia

Leia mais::
Perigos e golpes na Tailândia
15 coisas que você precisa saber antes de visitar
Songkran, o ano novo tailandês

Para organizar a sua viagem:
O que fazer em Bangkok
Onde ficar em Bangkok
Como usar o metrô de Bangkok

Roteiros em Bangkok:
O que fazer em Bangkok
O melhor roteiro de barco em Bangkok
8 experiências em Bangkok
O que fazer em Ayutthaya (bate volta)

Atrações de Bangkok:
Grand Palace e Wat Phra Kaew
Wat Arun: o templo do amanhecer
Wat Pho: o templo do Buda deitado
Passeios de barco em Bangkok
O melhor roteiro de barco em Bangkok
Chinatown e o templo do Buda de Ouro
Templo de Mármore em Bangkok
Templo Golden Mount
Mercado Flutuante
Mercado do trem
Khao San Road
Suan Pakkad Palace
Chatuchack Weekend Market
Asiatique
Iconsian
Jim Thompson House
Caminhe sobre Bangkok em uma passarela de vidro


Como chegar em Ayutthaya
O que fazer em Ayutthaya (bate volta)


O que fazer em Chiang Mai
Onde ficar em Chiang Mai
Aldeia das “mulheres girafa”
Tiger Kingdom
Templo Doi Suthep
Festival das Laternas de Chiang Mai
Uma experiência com os monges de Chiang Mai


Sukhothai, o berço da civilização tailandesa


Krabi & Railay Beach
Railay Beach, como chegar e o que fazer
Roteiro pelas ilhas saindo de Krabi
A ilha dos morcegos gigantes
Tour das 7 ilhas

Phi Phi Island
Como chegar em Phi Phi
Onde ficar em Phi Phi
Maya Bay
Mergulho em Phi Phi

Phuket
O que fazer em Phuket
Patong Beach em Phuket

Koh Lipe
O que fazer em Koh Lipe
Como chegar em Koh Lipe
Onde ficar

Koh Samui
Dicas de Koh Samui, como chegar e o que fazer
Três ilhas unidas por uma praia em Koh Ningyuan










Reservando um serviço com um dos parceiros do blog, você ajuda o Vou na Janela a produzir mais conteúdo e não paga nada a mais por isso. O Vou na Janela só recomenda empresas e serviços em que confia.


mm

Fabricio Moura

Meu nome é Fabricio, moro em Bangkok na Tailândia, sou designer e apaixonado pelo mundo. Descobri que viajar é se perder e se encontrar. Se conhecer melhor e se amar mais. Acumular histórias e experiências. Vamos?

Seja o primeiro a comentar

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.