Como é morar na Tailândia? Tudo o que você precisa saber

Como é morar na Tailândia


Morar na Tailândia nunca esteve nos meus planos durante uma boa parte da minha vida. Mas depois de visitar o país nos últimos dois anos, eu senti que deveria passar um tempo maior aqui. Era como se a “terra dos sorrisos” me chamasse, me abraçasse e dissesse que tudo ficaria bem.

Se você quiser saber melhor as minhas razões, dá uma olhada nesse post onde eu conto por que decidi me mudar para Bangkok.

Nesse post eu quero fazer um grande apanhado contando a minha experiência aqui, tanto para quem quiser morar na Tailândia, como para quem estiver interessado em passar um tempo maior no país.


Como é morar na Tailândia


Falando um pouco sobre a Tailândia e Bangkok

A Tailândia é um país grande, tem uma área de 513.120 km², um pouco menor que o estado de Minas Gerais, para você ter uma ideia. No norte faz divisa com Mianmar, Laos e Camboja. No sul ficam as famosas ilhas banhadas pelas águas azuis turquesa do Mar de Andamão e do Golfo da Tailândia.

O país tem praias que todo mundo sonha, parques nacionais de uma natureza única, templos magníficos e centros urbanos dinâmicos como em Bangkok. A Tailândia tem também a espiritualidade que a gente não encontra em outros lugares do mundo e a simpatia e gentileza de um povo sempre sorridente. Mesmo sendo um povo pobre e que vive com pouco, o Tailandês é feliz e isso nos leva a questionar o que é essa tal de felicidade?

Dicas de Samui

Como é morar na Tailândia: As famosas ilhas

Bangkok é uma das cidades mais modernas do sudeste asiático, aqui a gente encontra tudo o que uma grande cidade do mundo pode oferecer. Arte, cultura, networking e muita diversão. Bangkok é uma das metrópoles mais completas que eu já conheci.

De acordo com dados de 2012, a Tailândia tem 68.402.152 habitantes e só Bangkok tem 10.610.000 habitantes. É muita gente, e é por conta disso que o trânsito de Bangkok é famoso por ser um dos mais carregados do mundo. Mas existe um imenso movimento do governo em melhorar esse quadro, com a construção de diversos anéis rodoviários circulando a cidade para desafogar o trânsito além de uma obra gigantesca de expansão das linhas de metrô

A verdade é que por onde a gente anda em Bangkok, sempre vê uma obra, uma estação de metrô pronta para ser inaugurada ou novas linhas de trem sendo construídas. O plano deles é ambicioso, triplicar o número de linhas e estações em 3 anos e vendo a quantidade de obras, eu não duvido disso.

Rama X (Príncipe Maha Vajiralongkorn)

E já que falamos em governo, aqui quem manda é Monarquia Tailandesa, o Rei Bhumibol, que faleceu em 2016, reinou por 70 anos. Um dos monarcas mais antigos a frente de um país. Ele era idolatrado pelo povo, tanto que o seu velório durou 1 ano, onde todos os tailandeses usavam roupas pretas durante o período de luto.

O novo rei é Rama X (Príncipe Maha Vajiralongkorn) coroado em 2017, é o filho mais velho do Rei Bhumibol e da Rainha Sirikit. Só que o novo rei é visto como “um playboy gastador”, que viveu boa parte da vida na Europa, longe do povo e dos problemas do país. Um trabalho imenso de mídia foi feito para melhorar a imagem do cara, mas não funcionou muito bem.

O novo rei raramente aparece em público e a sua irmã mais velha, Princesa Maha Chakri Sirindhorn é hoje a figura mais popular e mais amada da família real tailandesa. A Princesa Sirindhorn faz diversos trabalhos voluntários, di-a-ri-a-men-te! Ela é bem povão, se veste com roupas simples, não usa maquiagem e fala com todo mundo. A mulher é idolatrada e vou confessar, ela merece.


Religião

A Tailândia é um estado budista, sendo que 95% da população segue a religião. No sul do país, na proximidade com a Malásia existe um grande número de muçulmanos, a maioria de famílias malaias que migraram para a Tailândia. E sendo um país budista, tudo aqui gira em torno da religião, como o calendário. Aqui na Tailândia nós estamos no ano 2561 e no começo gera uma confusão pois muita coisa está no calendário budista, mas depois a gente se acostuma. Outro exemplo é o ano novo que é celebrado em abril, o Songkran.

E ao frequentar os templos, devemos nos vestir de forma adequada. Nada de roupas curtas e decotadas, sempre tirar os sapatos e falando nisso, sempre tire os sapatos antes de entrar na casa de alguém.

Como é morar na Tailândia: 95% da população é budista


Como é o Tailandês?

Eu posso dizer que o Tailandês é um povo muito cordial, educado e discreto, que não fala alto e não gosta de chamar atenção. Raramente você vai ver alguém estressado ou buzinando no trânsito, por mais caótico que ele esteja. É um povo muito vaidoso e que gosta de se cuidar, ter a pele o mais branca possível é uma obsessão aqui e em boa parte da Ásia. Como a maioria dos asiáticos, são mais fechados, cultivar uma amizade aqui leva um bom tempo, mas são pessoas muito queridas.


Conectividade

Bangkok é um dos maiores hubs aéreos da Ásia e para mim, trabalhando como blogueiro de viagens, é o lugar perfeito para pegar um voo curto e explorar uma cidade ou país próximo.

São várias companhias aéreas low-cost que operam aqui, além claro, das maiores companhias aéreas do mundo. Estando em Bangkok, é fácil chegar em qualquer ponto da Ásia e do mundo. E curiosamente, é mais barato voar de Bangkok para a Europa ou Estados Unidos, do que saindo do Brasil.

Thai Lion Air, uma das várias low-costs da Tailândia


Custo de vida

Não é mito, o custo de vida na Tailândia é sim muito barato. A moeda local é o Baht e hoje 1 Baht valem R$ 0,12 centavos. Vantajoso? É sim, mas de 2016, quando eu vim pela primeira vez, a conversão era melhor.

Talvez você não saiba, mas nem é tudo tão baratinho assim, especialmente para quem mora aqui. É o que eu sempre digo, em todos os lugares existem a realidade do visitante e a do morador. De uma forma resumida, basicamente o que a Tailândia ou países vizinhos não produzem, é caro. No post abaixo eu explico tudo isso.

Leia o post completo aqui

Comprinha de menos de 50 reais. E os produtos de limpeza extremamente baratos


Trabalhar na Tailândia

Se você pretende vir morar na Tailândia, você tem dois caminhos: 1) ser muito bom no que faz, aquele profissional excepcional que é o sonho de todas as empresas ou 2) ter o seu próprio negócio.

A razão disso é que as empresas tailandesas só podem ter 1% de funcionários estrangeiros no seu quadro. Essa regra foi criada para proteger os tailandeses da enxurrada de estrangeiros que começaram a vir para cá nos anos 2000. Por isso, você precisa ser muito bom para que uma empresa tailandesa se interessar por você. E claro, dependendo do cargo, você vai ter que falar tailandês. Piorou né?

Ter seu próprio negócio é outra forma de ganhar a vida aqui, eu vejo muitos estrangeiros trabalhando como guias, fotógrafos ou instrutor de mergulho, por exemplo. Sempre trampos ligados ao turismo.

No meu caso, o blog é o meu trabalho e eu também sou designer freelancer e tenho a minha carteira de clientes no Brasil, é assim que eu pago os boletos.

Como é morar na Tailândia: Meu trabalho me proporciona tal mobilidade


Visto

Brasileiros podem permanecer no país por até 3 meses, mas se você sair e voltar, o visto é renovado e muita gente faz isso. Você pode solicitar um visto de estudante, desde que o curso que você pretenda fazer tenha mais de 3 meses de duração. Eu acho essa a forma mais prática. Tem cursos de idiomas com duração de 2 anos, ou de culinária tailandesa que são as opções que eu mais gosto.

Existe o visto de trabalho, mas aí você vai ter que se enquadrar naquele 1% lá de cima ou o visto de empreendedor/investidor, para abrir seu negócio aqui.

Existe um projeto para facilitar o visto de longa permanência, onde o candidato poderá ficar até 3 anos legalmente, pagando uma taxa de R$1.200,00 e fazer todo o trâmite no Consulado Geral da Tailândia em Brasília.


Qualidade de vida

Isso é algo que eu tenho de sobra e foi um dos pontos que mais me motivaram a morar na Tailândia. A alimentação é mais saudável, não como carne vermelha desde que saí do Brasil e isso tem feito bem para o meu organismo. Claro que eu tenho vontade de comer uma bela picanha, mas além de não ser fácil de encontrar aqui, eu tenho vivido bem sem carne vermelha.

A estrutura do condomínio onde eu vivo me proporciona mais qualidade de vida do que eu teria em São Paulo no meu amado apartamento da Santa Cecília. Frequento a academia, a piscina, pratico meditação… As pessoas aqui se cuidam, mas sem a obsessão pelo corpo perfeito que vemos no Brasil.

Bangkok não é uma cidade violenta, a gente só precisa ter os mesmos cuidados que temos em qualquer cidade do mundo. Não existe aquela neura que às vezes nós temos no Brasil, aquele medo de ter o celular roubado a qualquer momento. Basta ligar a TV para ver que não existem notícias de violência. Às vezes uma briga de turistas rouba o noticiário por dias, deve ser monótono ser jornalista aqui.

Como é morar na Tailândia: Qualidade de vida pagando pouco


O lado ruim de viver na Tailândia


Morar na Tailândia é sim incrível, uma experiência única e eu me sinto muito privilegiado. Em nenhum momento eu me arrependi de ter vindo, mas depois de alguns meses eu posso dizer, com os pés bem no chão, que como toda moeda, tem os dois lados. Como tudo na vida, não é? Outro dia eu comentava com um amigo que “não é uma fábula budista”.

Mas o que pode representar pontos negativos para mim, talvez não seja um problema para você, cada um é cada um, não é mesmo?

Clima

Certamente um dos meus maiores desafios de viver na Tailândia é o clima. É um calor que castiga o corpo em qualquer época do ano. Mas não basta ser quente, tem a umidade que chega facilmente a 95% e deixa tudo ainda pior.

Tem dias que a umidade está tão alta, que parece que a gente consegue pegar o ar com as mãos. A pele fica grudenta, oleosa e transpirando constantemente. E aí aparecem as malditas espinhas. Ar condicionado aqui é uma necessidade, não dá para viver sem. Eu tenho dois no meu apartamento e só assim para dar conta.

Em dias muito úmidos a roupa não seca nunca e quando seca, fica com cheiro de roupa que secou na sombra. Cheiro de “cachorro molhado”, como dizia a minha mãe.

Sair para turistar nesse calorão é difícil, na metade do dia a gente já fica exausto, querendo apenas um banho e um quarto com ar condicionado.

O calor é tanto, que a curta caminhada de 50 metros de casa até o metrô já me fazem transpirar, não é agradável. Hoje eu já sinto um pouco menos esse efeito climático comparando com o dia que eu cheguei, mas mesmo assim, ainda sofro bastante.

Como é morar na Tailândia: Calor que sufoca


Saudade

Eu sou filho único e meus pais já deram adeus a essa terra, os meus amigos são a minha família e eu sinto a falta deles. Por mais que hoje em dia a internet, redes sociais e WhatsApp aproxime quem está longe, nada se compara a uma breja no boteco da esquina com os que eu amo.

Curiosamente eu não sinto falta do meu amado apartamento, ou das coisas que eu deixei lá, mas sinto falta dos botecos, da cerveja gelada, do centrão de São Paulo e da nossa comida maravilhosa.

***

Bom amigos, espero muito ter respondido todas as suas perguntas. Morar na Tailândia é incrível, uma experiência única e apesar do calorão e da saudade, nós brasileiros nos adaptamos em qualquer lugar. O importante é ser feliz! Sawadee-krap!


Procurando hospedagem em Bangkok?


Eu escrevi um post  mapeando as melhores áreas para se hospedar em Bangkok:

Onde se hospedar em Bangkok

Mas você pode também ver a nossa lista completa de sugestões no Booking.com. Reservando um hotel pelo Booking, você ajuda o blog e não paga nada a mais por isso. Clique aqui



Booking.com


Passeios em Bangkok



Mais posts sobre Bangkok


Planejando a sua viagem

Qual é a melhor época para visitar a Tailândia
Onde se hospedar em Bangkok
Perigos e golpes na Tailândia
Quanto custam as coisas na Tailândia?
15 coisas que você precisa saber antes de visitar Bangkok
Que moeda levar para a Tailândia
Chegando em Bangkok por Suvarnabhumi e Dom Mueang

Como usar o metrô de Bangkok

Coisas para fazer em Bangkok

Grand Palace e Wat Phra Kaew
Wat Arun: o templo do amanhecer
Wat Pho: o templo do Buda deitado
Passeios de barco em Bangkok
Mercado Flutuante
Mercado do trem
Khao San Road
Chatuchack Weekend Market
8 experiências em Bangkok
O que fazer em Ayutthaya (bate volta)


Sigam o Vou na Janela no Facebook e no Instagram.


mm

Fabricio Moura

Meu nome é Fabricio, moro em Bangkok na Tailândia, sou designer e apaixonado pelo mundo. Descobri que viajar é se perder e se encontrar. Se conhecer melhor e se amar mais. Acumular histórias e experiências. Vamos?

5 Comentários

  • Responder novembro 26, 2018

    Paulo Sousa

    Fabrício, muito bom esse post. Às vezes, penso eu, imaginamos que deve ser tão bom dar um tempo em uma terra distante, mas, com os detalhes trazidos pelo post, vemos como o ser humano precisa de suas raízes, ainda que, como você disse, seja a saudade de coisas simples como a tal “breja” (confesso que não tinha ouvido essa palavra…hehehe).

  • Responder novembro 27, 2018

    Erica

    Oi Fabrício, pra transpiração intensa existem uns desodorantes europeus bons, como o Driclor, Perspirex, Odaban, etc. Pesquisa sobre se te interessar, ajudar a aliviar a sensação de corpo molhado o dia inteiro. Adorei o post!

    • mm
      Responder novembro 27, 2018

      Fabricio Moura

      Oi Erica, eu uso um coreano sensacional, o problema é a transpiração não se restringe às axilas né? O rosto, tórax, braços… Aí não tem muito o que fazer, só correr pra casa e tomar banho hahaha. Obrigado pela dica.

  • Responder novembro 27, 2018

    Jhonatan Mazini

    Olá, Fabrício. Parabéns pelo blog e boa sorte na Tailândia!

    • mm
      Responder novembro 27, 2018

      Fabricio Moura

      Obrigado, Jhonatan!

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.