Ásia dia 1: Bangkok – Aeroporto e Ano novo na Tailândia

Depois de 22 horas voando, finalmente, cá estou. A Tailândia é longe, muito longe, mais longe do que eu sonhei em ir um dia. E nem preciso dizer como é quente.

Meu voo chegou no Aeroporto Internacional de Suvarnabhumi, que distante uns 40 minutos de Bangkok, o desembarque foi tranquilo, já fiz o câmbio de Dólar para Baths, a moeda daqui. No Desembarque a gente tem que procurar o Health Control, preencher dois formulários, carimbar e só depois ir para a imigração.

A imigração foi a mais tranquila, o funcionário vestindo uma camisa floral só me perguntou quantos dias eu ficaria na Tailândia, passaporte carimbado, bagagem recolhida, fomos presenteados com um saquinho com água perfumada e flores secas com cheiro de incenso, e aí fiquei sabendo que era Ano Novo na Tailândia, juro que eu não sabia. A água perfumada é uma tradição do ano novo deles que eu ia descobrir melhor do que se tratava mais tarde.

Presentinho dado no aeroporto

Ano novo na Tailândia: Presentinho dado no aeroporto

Como era feriado, as opções de transporte para sair do aeroporto eram mais escassas, mas tem um trem que sai daqui e vai até o centro de Bangkok e de lá conectar a rede de metro.

Como o cansaço bateu forte, resolvi testar o que eles chamam de Limousite, é tipo um Uber Black, com ar condicionado potente, água, balinha e comodidade. Não foi muito barato, mas devido às circunstâncias, tava valendo.

Pose de patrão

Pose de patrão

Chegando em Bangkok, o famoso trânsito caótico estava ainda mais zoneado na região da Khao San Road, onde fica o meu hotel. É a melhor parte da cidade para visitar os templos mais famosos.

As ruas estavam fechadas por conta das comemorações de ano novo, o Songkran, que consiste em uns jogando água nos outros com aquelas armas de água, saca? E o medo de tomar essa água e já ter uma dor de barriga na chegada?

Agora deu pra entender melhor a coisa da água perfumada no aeroporto. No Songkran, as pessoas jogam água na outra para se purificar para o ano que está começando.

Passei quase imune pelo meio deles e cheguei ao hotel. O que eu fiz no resto do dia? Dormi por longas 14 horas.

Leia mais:
Todos os posts do mochilão pela Ásia


Sigam o Vou na Janela no Facebook e no Instagram.


 

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestPrint this page
mm

Fabricio Moura

Meu nome é Fabricio, moro em São Paulo, sou designer e apaixonado pelo mundo. Descobri que viajar é se perder e se encontrar. Se conhecer melhor e se amar mais. Acumular histórias e experiências. Vamos?

2 Comentários

  • Responder abril 17, 2016

    MUCIO BRETAS

    Caramba que legal este pais, parabenas Fabrício tire bastante fotos pra nos.

    • mm
      Responder abril 18, 2016

      Fabricio Moura

      É tudo muito lindo, Múcio.

Deixe uma resposta