Ásia dia 7: Chiang Mai | Doi Suthep, transportes e mais templos

Doi Suthep

Hoje foi dia de conhecer o mais famoso templo de Chiang Mai, o Doi Suthep. O templo fica nas montanhas, mais de mil metros de altura e quase sempre envolto numa névoa. Chegar até lá não foi complicado, em Chiang Mai não existem ônibus, e tão pouco metrô. Os meios de transporte são taxis (sem nenhuma identificação), tuk-tuk ou o que eles chamam de “minibus”, que são essas caminhonetes com uma cobertura na caçamba.

O tal do "minibus"

O tal do “minibus”

Eu dei sorte, na esquina do meu hotel tinha um ponto desses carros que saem dali e vão direto até o Doi Suthep. A passagem ida e volta custou 150 Baths (15 reais) e o mesmo carro que te leva, espera para te trazer de volta duas horas depois. É tempo mais que suficiente. Se o carro der lotação de 10 pessoas, a passagem sai por 50 Baths.

A viagem dura uns 30 minutos, eram tantas curvas que ele fazia correndo que eu pensei que ia deixar o meu café da manhã de lembrança no carro.

Lá de cima

Lá de cima

Chegando lá tem essa escadona aí pra subir, mas quem quiser pode pagar 20 baths (2 reais) e subir de funicular e a entrada do templo custa 30 baths (3 reais).

O Doi Suthep não é muito grande, mas super dourado. Não tem grandes salões, a área principal é o pátio interno ao ar livre. E tudo é lindíssimo, na verdade acho que não existe templo feio, até os mais simples tem sua beleza.

Entrada do templo

Entrada do templo

Dourado

Dourado

Em razão da altura, a temperatura lá em cima estava um pouco mais baixa, marcava 30 graus, enquanto em Chiang Mai estava marcando 42 com sensação térmica de 45. A gente se sente sendo fritado na rua.

Na volta do templo, tive que correr pro hotel pois não estava dando pra lidar com aqueles 42 graus. No fim da tarde saí para conhecer mais templos dentro da cidade antiga. É uma área de Chiang Mai quadrada e demarcada por um canal e que já foi toda murada, hoje só restam algumas ruínas.

Wat Kuan Kama

Wat Kuan Kama

Detalhes

Detalhes

O Wat Kuan Kama, que tem um buda enorme na entrada e claro, aquela arquitetura linda e rica em detalhes. Em frente, do outro lado do canal fica o Wat Lok Molee. Esse é super antigo, começou a ser construído em 1367 por monges que vieram da Birmânia (hoje Mianmar) para Chiang Mai.

Wat Lok Molee

Wat Lok Molee

Wat Lok Molee

Wat Lok Molee

O que é bacana do Wat Lok Molee, é que ele é mais simples, como os templos antigos eram. Sem tanto dourado ou ornamentos. Fui um dia mais sussa e amanhã tem Camboja.

Leia mais:
Todos os posts do mochilão pela Ásia


Sigam o Vou na Janela no Facebook e no Instagram


 

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestPrint this page
mm

Fabricio Moura

Meu nome é Fabricio, moro em São Paulo, sou designer e apaixonado pelo mundo. Descobri que viajar é se perder e se encontrar. Se conhecer melhor e se amar mais. Acumular histórias e experiências. Vamos?

1 Comentário

  • Responder abril 21, 2016

    MUCIO BRETAS

    Nossa que lindo!!!

Deixe uma resposta