Sukhothai, uma viagem ao berço da civilização tailandesa

Sukhothai


Sukhothai foi uma das melhores surpresas que eu tive na Tailândia. Eu sabia que era uma cidade histórica de grande importância para a Tailândia. Sabia que não era um lugar onde o turismo em massa ainda não chegou, mas nem em meus maiores sonhos eu imaginei como seria especial. Sukhothai me tocou e me marcou, ficou a saudade e espero voltar um dia.

***

Sukhothai é conhecida por ser o berço da civilização Tailandesa, primeira capital do primeiro Reino do Sião, que hoje conhecemos como Tailândia. Não é exagero dizer que é uma viagem por onde tudo começou, os primeiros templos, a primeira escrita, o estilo de arte e arquitetura original tailandês.

O Reino de Sukhothai prosperou entre os séculos 13 e 14. Mas em algum momento da história a cidade foi abandonada e a nova capital foi fundada em Ayutthaya. Que por sua vez, foi a capital até 1767 quando foi atacada e parcialmente destruída pelo Exército da Birmânia.

Além de toda essa importância histórica, é um lugar em que a gente ainda consegue sentir a essência da verdadeira Tailândia. Sukhothai significa “Aurora da Felicidade”, incrível não é?

Sukhothai

Por ser pouco conhecida, ela fica de fora da maioria dos roteiros na Tailândia. Nada de multidões de turistas por todos os lugares e melhor ainda, nada de assédio de vendedores e motoristas de tuk-tuk. Essa será uma das experiências mais prazerosas que você terá na Tailândia, vai por mim.

Sukhothai é dividida em duas partes, Cidade Nova e Cidade Velha. Que são separadas por uma avenida de 12 quilômetros. Na Cidade Nova é onde a maioria das pessoas vivem, e a parte mais desenvolvida. Na outra ponta dessa avenida fica a Cidade Velha, que é onde fica o Parque Histórico de Sukhothai, Patrimônio da Unesco e onde estão todos os templos.

Paz e tranquilidade


O que fazer em Sukhothai


O Parque Histórico de Sukhothai possui quase 200 templos dos mais variados tamanhos e estados de conservação. Eles ficam espalhados por uma área enorme dividida em 5 zonas: a central, que é a principal delas e as zona sul, norte, leste e oeste.

Dentro dessas 5 zonas existem 3 áreas em que a entrada é cobrada: as zonas central, norte e oeste. A entrada em cada uma delas custa 100 bahts ou 110 bahts se você estiver de bicicleta. Fora dessas zonas pagantes ainda é possível ver e visitar muitos templos de graça. No mapa abaixo eu marquei as zonas pagas.

Zonas pagas

A melhor forma de andar pelo Parque Histórico de Sukhothai é de bicicleta. Elas podem ser alugadas na entrada da zona central por 100 baths ou nos hotéis. Eu aluguei a minha no hotel onde eu fiquei e paguei 50 bahts por 24h. Vou dar a dica do hotel no fim do post.

A bicicleta é o meio de transporte oficial

Comece a sua visita pela zona central, um quadrado imenso delimitado pela antiga muralha que protegia a cidade e cercada por muitos canais. Ali estão as ruínas mais de 20 templos.

O principal deles é o Wat Mahathat, nele funcionava o coração administrativo da cidade e o principal centro espiritual do Reino de Sukhothai. É uma das ruínas mais impressionantes e bem preservadas. Com gigantescas imagens de Buda e colunas que séculos atrás sustentavam o imponente teto do Wat Mahathat.

Wat Mahathat

Wat Mahathat

Wat Mahathat

Cercado por lagos, com pontes e pequenas ilhas, a zona central guarda mais relíquias como o Wat Si Sawai, que lembra muito a arquitetura Khmer dos templos de Angkor no Camboja. Ali ficam outros belos templos como o Wat Tra Phang Ngoen e em uma pequena ilha fica o belíssimo Wat Sa Si.

Wat Si Sawai

Wat Si Sawai

Saindo da zona central eu fui para o lado norte, não deixe de fazer uma paradinha no Wat Sarasak, o templo dos elefantes. É pequeno, mas muito bonito. E um excelente lugar para curtir o pôr do sol.

Templo dos elefantes

Templo dos elefantes

Dentro da parte paga da zona norte fica o enorme Wat Phra Phai Luang, estava vazio, não tinha mais ninguém ali, algo que seria muito comum desse templo em diante. A zona central é a mais visitada, as regiões periféricas são mais vazias, quase inóspitas, o que faz com que a experiência seja ainda mais especial.

Ainda nesta região fica o Wat Si Chum, que guarda a imagem do Grande Buda de Sukhothai. A impressionante imagem de Buda sentado de 15 metros de altura por 11 metros de largura. A imagem em estilo Sukhothai é datada do século 14, durante a restauração nos anos 50 descobriram uma passagem secreta que dá acesso ao topo da estrutura que cerca o Buda. Lá dentro encontraram peças primitivas de arte tailandesa do século 13.

O grande Buda de Sukhotthai

O grande Buda de Sukhotthai

A zona oeste é a mais distante e a mais deserta, são 5 quilômetros que a separam dos antigos muros da cidade antiga. Lar de antigos rituais, no Wat Saphan Hin ainda acontece o despertar dos monges, quando centenas de monges saem dos monastérios de Sukhothai para recolher comida ofertada pelos moradores. Semelhante ao que acontece em Luang Prabang no Laos.

Vista do alto do Wat Saphan Hin

***

Pedalando pelas estradinhas e nos templos, tive ocasiões em que fiquei horas sem ver uma viva alma, eu tinha os templos só para mim. Algo muito raro na Tailândia, um país que recebe mais de 30 milhões de turistas por ano.

Por situações assim que fazem de Sukhothai um dos lugares mais especiais e imersivos da Tailândia. Onde a gente consegue ter uma experiência espiritual sem ter que disputar espaço com um pau de selfie.

Fim de dois dias de paz e reflexão


Como chegar a Sukhothai


Sukhothai fica distante 420 quilômetros de Bangkok e 300 quilômetros de Chiang Mai. É bem comum quem está viajando de ônibus entre essas duas cidades fazer uma paradinha em Sukhothai.

Mas existem outras maneiras de chegar a Sukhothai, e aí, vai depender do seu orçamento e claro, do tempo que você tem disponível.

De avião

É a maneira mais cômoda, e também a mais cara. A cidade é atendida por dois aeroportos, o de Sukhothai, distante 35 km e o de Phitsanulok, que fica a uma distância de 65 km de Sukhothai e ambos recebem voos diários de Bangkok.

O aeroporto de Sukhothai recebe apenas dois voos diários operados pela Bangkok Airways e o de Phitsanulok tem uma oferta maior de voos. Lá operam a Nok Air, Air Asia e a Thai Lion Air. Todas essas são low-costs e tem preços bem mais baratos que a Bangkok Airways, que não é uma low-cost.

Nok Air

A Nok Air e a Air Asia vendem junto com a passagem aérea o transfer até Sukhothai, que é uma solução excelente para chegar até a cidade sem gastar muito com transfer de hotel ou contratando um transfer no próprio aeroporto.

E foi exatamente o que eu fiz, comprei a passagem pela Nok Air voando do Aeroporto Don Mueang aqui em Bangkok até Sukhothai com o transfer embutido por R$300,00. Achei um valor excelente pelo serviço.

Chegando em Phitsanulok

No desembarque do aeroporto de Phitsanulok já tinha um funcionário da Nok Air com uma plaquinha de identificação. E o ponto final do transfer era do lado do meu hotel, não poderia ser mais perfeito.

De ônibus

Outra maneira super comum e barata de ir de Bangkok ou Chiang Mai até Sukhothai. Aqui em Bangkok os ônibus saem do Terminal Mo Chit, que fica perto da estação Mo Chit do BTS e da Chatuchak Park do MRT. Chegando em Sukhothai o ônibus faz duas paradas, uma na cidade nova e outra na cidade velha, que é onde fica o parque histórico.

A passagem de ônibus custa o equivalente a 30 reais, confesso que fiquei muito tentado a ir de ônibus, mas as 8 horas de viagem me desanimaram.

De trem

Sukhothai não tem estação de trem, mas existe uma linha direta de Bangkok até Phitsanulok, é o mesmo trem que passa por Ayutthaya e segue até Chiang Mai. A passagem custa de 6 a 15 reais, mas varia de acordo com o horário e o serviço. Barato demais, só que o lado ruim é que a viagem dura de 10 a até 15 horas, vai depender do serviço, número de paradas e até de situações adversas como as monções que às vezes alagam os trilhos.

Consulte aqui todos os horários

Trem para Phitsanulok


Quantos dias ficar em Sukhothai


Eu fiquei duas noites e tive praticamente 2 dias para visitar as ruínas. Foi o suficiente, mas gostaria de ter ficado mais, principalmente para explorar melhor a zona sul do Parque Histórico.

Eu ouvi falar de pessoas que fazem um bate-volta de Bangkok com a Bangkok Airways até o aeroporto de Sukhothai. Chegando no primeiro voo às 8h30 e voltando no voo do fim da tarde. Deve ser muito cansativo, não vale a pena.

Sukhothai


Onde ficar em Sukhothai


O melhor lugar para ficar em Sukhothai é no entorno da cidade velha. Se hospedar na cidade nova é uma furada, pois você vai gastar tempo e dinheiro para ir e vir até o Parque Histórico.

Eu fiquei no Thai Thai Sukhothai Guesthouse, um hotel super gostoso, os quartos ficam em umas casinhas tradicionais tailandesas. Tem um excelente café da manhã e um atendimento dos melhores que eu já tive. Eu paguei o equivalente a 100 reais na diária com o café da manhã. Mas o preço pode variar de acordo com a demanda e o tipo de acomodação.

Como disse acima, eu aluguei a bicicleta no próprio hotel e paguei 50 bahts (aproximadamente 5 reais) por 24 horas de uso. Quem for alugar na entrada do parque vai pagar 100 bahts e terá que devolver até as 18h do mesmo dia.

A melhor hospitalidade

Se você não gostar dessa sugestão de hotel, existem muitos outros nas redondezas. Eu marquei no mapa abaixo a parte da Cidade Velha onde eu recomendo você se hospedar e aqui você pode ver todos os hotéis de Sukhothai.

Melhor região para se hospedar

 


Procurando hospedagem em Bangkok?


Eu escrevi um post  mapeando as melhores áreas para se hospedar em Bangkok:

Onde se hospedar em Bangkok

Mas você pode também ver a nossa lista completa de sugestões no Booking.com. Reservando um hotel pelo Booking, você ajuda o blog e não paga nada a mais por isso. Clique aqui



Booking.com


Passeios em Bangkok



Mais posts sobre Bangkok


Planejando a sua viagem

Qual é a melhor época para visitar a Tailândia
Onde se hospedar em Bangkok
Perigos e golpes na Tailândia
Quanto custam as coisas na Tailândia?
15 coisas que você precisa saber antes de visitar Bangkok
Que moeda levar para a Tailândia
Chegando em Bangkok por Suvarnabhumi e Dom Mueang

Como usar o metrô de Bangkok

Coisas para fazer em Bangkok

Grand Palace e Wat Phra Kaew
Wat Arun: o templo do amanhecer
Wat Pho: o templo do Buda deitado
Passeios de barco em Bangkok
Mercado Flutuante
Mercado do trem
Khao San Road
Chatuchack Weekend Market
8 experiências em Bangkok
O que fazer em Ayutthaya (bate volta)


Baixe o nosso Guia de Bangkok


Baixe aqui o nosso guia exclusivo de Buenos Aires em PDF para ler no celular, tablet ou computador.

banner_site


Sigam o Vou na Janela no Facebook e no Instagram.


mm

Fabricio Moura

Meu nome é Fabricio, moro em Bangkok na Tailândia, sou designer e apaixonado pelo mundo. Descobri que viajar é se perder e se encontrar. Se conhecer melhor e se amar mais. Acumular histórias e experiências. Vamos?

Seja o primeiro a comentar

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.